Em Maceió, médicos estão perto de decidir quem vai viver e morrer nos hospitais

Maceió está bem próxima daquela fase em que o médico decide quem vai viver e morrer, diante do avanço dos casos de coronavírus.

Marcos Holanda, presidente do Sindicato dos Médicos, disse que uma colega estava com 21 pessoas aguardando para serem internadas no hospital Arthur Ramos.

Mas não havia vaga.

Na Santa Casa, está havendo restrição para cirurgias eletivas.

E na sexta-feira ele operou uma paciente  com bastante dificuldade.

Porque a cirurgia estava marcada para às oito da manhã. Mas só começou perto do meio dia.

Por faltar vaga no hospital.

“Tenho certeza que nem o governador e nem o prefeito querem fechar a cidade ou bares e restaurantes, atividades econômicas, isso é o que gera impostos. Mas quando chega numa fase dessa, onde se tem limite, daqui a pouco joga nas mãos dos médicos para a gente decidir quem vai morrer e quem vai viver, quem vai para o respirador e quem não vai”, disse o presidente do sindicato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *