Em ação especial, Instituto de Identificação de Alagoas emite 70 carteiras de identidade para crianças autistas

Texto: Aarão José

O Instituto de Identificação da Polícia Científica de Alagoas participou hoje (30), da primeira triagem diagnóstica do autismo realizado pela Justiça Federal de Alagoas. A ação está encerrando as atividades do mês de abril, marcado pelo Dia Mundial de Conscientização do Autismo estabelecido pela ONU (Organização das Nações Unidas).

O presidente da Comissão de Acessibilidade e Inclusão da Justiça Federal de Alagoas, juiz Felini Wanderley, da 14ª vara capital, explicou que a ação social foi estruturada para oferecer vários serviços em um único lugar para atender famílias de baixa renda. A expectativa é de acolher em um único dia, mais de 60 crianças com transtorno do espectro autista (TEA).

“Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 1% da população mundial é autista, teoricamente em Alagoas devem existir cerca 33 mil pessoas com transtorno do espectro autista. Desse total, 80% não são diagnosticadas, o que levou a comissão a fazer esse mutirão que contou com psicólogos, médicos para diagnosticar, advogados para prestar assistência jurídica, equipes da SMTT, e CRAS para assistência social e o Instituto de Identificação com a emissão do RG”, afirmou o juíz.

Rita de Cássia ficou sabendo da ação por uma amiga, e se inscreveu para participar da triagem para trazer o filho, do pequeno Oliver Santana de 1 ano e 3 meses. Ela consegui o laudo confirmando o diagnóstico da criança e aproveitou para tirar a carteira de identidade dele já com o símbolo do autismo incluso no documento. “É muito importante para as famílias de crianças com autismo encontrar apoio em ações como essa, onde podemos resolver tudo em um único lugar “, disse a mãe .

Anízio Amorim, superintendente do Instituto de Identificação, explicou que Alagoas é um dos estados da federação que está apto a emitir a Carteira de Identidade da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (Ciptea). Em casos como esse, o RG é impresso com a fita quebra-cabeça, símbolo mundial da conscientização do transtorno do espectro autista, utilizado para identificar a prioridade às pessoas com TEA.

“Além do símbolo, no campo de observações da carteira de identidade sai impresso o código mundial de incidência e prevalência de doenças atualizado pela Organização Mundial de Saúde. O Instituto de Identificação de Alagoas vem há dois anos garantindo a essas crianças e seus familiares a prioridade de atendimento em serviços públicos e privados, em especial nas áreas de saúde, educação e assistência social.” Afirmou Anízio Amorim.

Após, a realização da ação, o Instituto de Identificação terá um prazo de 20 dias úteis para confeccionar os RGs físicos. Quando prontos, os documentos serão entregues na própria sede da JFAL no bairro da Serraria e as famílias poderão também baixar a versão on-line da carteira de identidade alagoana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.