Educação realiza audiência pública com cooperativas e associações de agricultores familiares

O Setor de Alimentação e Nutrição da Secretaria Municipal de Educação (Semed) realizou uma audiência pública, nesta quinta-feira (3), com cooperativas e associações de agricultores familiares, tendo como objetivo discutir critérios e escolhas dos alimentos que devem ser ofertados aos alunos da rede pública municipal de ensino. O evento, que ocorreu no Auditório Paulo Freire, na sede da Semed, reuniu mais de dez representantes de associações e cooperativas da agricultura familiar.

Durante a audiência, a coordenadora de Alimentação e Nutrição Escolar, Anna Carla Luna, iniciou o encontro levantando aspectos importantes a serem considerados nos procedimentos adotados para aquisição, no contexto da alimentação escolar de Maceió em 2022. Os agricultores presentes também tiveram a oportunidade de sugerir alimentos a serem inseridos no cardápio escolar, considerando o que é produzido pela agricultura familiar alagoana.

“Foi uma reunião produtiva, um momento de planejamento conjunto, um mapeamento. A gente atualizou informações sobre a produção dos agricultores, na perspectiva de elaborar um cardápio coerente com a produção agrícola familiar do nosso estado. Inclusive, eles apresentaram sugestões que inovarão e enriquecerão em muito o cardápio da alimentação escolar. São novas possibilidades a partir de novos produtos”, disse Anna Carla.

Desde 2015, a rede municipal vem adquirindo alimentos da agricultura familiar para a composição do cardápio escolar. Esses alimentos são oriundos do interior de Alagoas, contemplando diversas cidades.

A assessora pedagógica do setor de Alimentação e Nutrição Escolar da Semed, Gedida Alves, que acompanhou a audiência, disse que investir na qualidade da alimentação escolar é investir diretamente na aprendizagem, pois aluno bem alimentado aprende mais e melhor.

“Desde 2009, com a política de compras da agricultura familiar para as escolas públicas, alunos e agricultores familiares têm se beneficiado. Os alunos, pela significativa melhora na qualidade alimentar ofertada e os agricultores, pela melhora na sua qualidade de vida, uma vez que sua produção tem como escoar”, disse a assessora pedagógica.

O gerente da Cooperativa dos Pequenos Agricultores Organizados de Maragogi (Copeagro), José Luis Tavares, também participou da audiência. Ele coordena cerca de 135 famílias de agricultores do município de Maragogi, especializadas em produzir polpas de frutas. Para Tavares, a distribuição desses alimentos é importante para os alunos da rede pública, pois muitos vivem em situação de insegurança alimentar.

“A gente vem fornecendo há aproximadamente três anos para a Prefeitura. Nos sentimos muito satisfeitos de saber que nosso trabalho, a nossa produção vem sendo destinada à alimentação das crianças que estão na rede municipal. Muitas delas, sabemos, estão em situação de vulnerabilidade alimentar e a gente tem essa preocupação de distribuir o que tem de melhor para elas”, afirmou Tavares.

Em 2021, a Prefeitura de Maceió encerrou o ano distribuindo mais de 800 toneladas de alimentos para os estudantes da rede pública municipal de ensino, sendo 41% dos recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar aplicados na agricultura familiar. É a primeira vez que o mínimo de 30%, estabelecido pelo governo federal, foi ultrapassado pela Prefeitura de Maceió.

Jamerson Soares (estagiário)/Ascom Semed

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.