Polícia investiga rede de apoio a Lázaro

A morte de Lázaro Barbosa, executado pela polícia após ele reagir à prisão, não encerra as investigações sobre o jovem. Agora, a policia quer saber quem integrava a rede de apoio ao criminoso. Ao ser capturado e morto, Lázaro tinha armas, alimentos e remédios, além de R$ 4.400 em dinheiro, de acordo com informações do registro de atendimento integrado da Secretaria de Segurança Pública de Goiás, emitido na tarde desta segunda-feira (28). As informações são do R7.

A bagagem que Lázaro carregava guardava uma faca, um coldre de arma de fogo, um carregador de pistola, munições, uma liga de borracha e fita plástica, um casaco camuflado, uma touca, uma luva de pano, um isqueiro e um frasco branco com óleo, além de frasco com comprimidos do antibiótico amoxicilina e do anti-inflamatório naprixona.

Para alimentação, havia macarrão instantâneo, tempero pronto, uma cebola e bolachas.

De acordo com o secretário de segurança do estado, Rodney Miranda, Lázaro agia com a colaboração de mais pessoas. “O dinheiro no bolso é um indicativo de que ele queria fugir ou do estado ou do país”, afirmou. “As investigações não acabam aqui. Ainda temos algumas pessoas para investigar e prender. Ele estava trocando de roupa, isso é mais uma prova de que ele estava sendo acobertado e mostra que tinha gente interessada na não prisão dele.”

No confronto com a polícia, de acordo com o documento, 125 tiros foram disparados. O documento registra a versão da PM sobre a busca e a troca de tiros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *