BLOG

Maceió: Sem internet e papel, alunos abandonam aulas em escola municipal

Com a impressora quebrada, sem tinta, sem papel e sem internet em casa, a maioria dos alunos da escola municipal Nosso Lar, no Vergel do Lago, em Maceió, não acompanha as aulas e são os mais prejudicados na pandemia.

Dos 35 alunos de uma das turmas, apenas 6 têm internet em casa e conseguem acompanhar o conteúdo apresentado pelo professor. O restante não tem celular próprio ou não tem condições de pagar um plano de internet para acompanhar vídeos ou existe apenas um celular em casa mas que fica com o pai ou a mãe no trabalho durante o dia.

Por conta apartheid tecnológico, a direção da escola optou por imprimir atividades em papel para que os pais pudessem pegar nas escolas. A ideia não funcionou. A impressora quebrou e, mesmo quando ela funcionava, não tinha tinta.

Houve distribuição de papel uma única vez na Nosso Lar em 2021: 4 folhas por aluno.

As aulas da rede municipal de Maceió voltaram em 15 de março e deveriam ser híbridas, antes do decreto que pôs Alagoas na fase vermelha na pandemia.

Mesmo assim, a escola inteira recebeu 30 máscaras e poucas garrafas de álcool em gel. A Nosso Lar tem 49 salas de aula e funciona nos três turnos.

Por conta do alto índice de evasão escolar na pandemia, direção e professores fazem, eles próprios, a busca ativa de alunos.

Em 5 de fevereiro, o secretário Municipal de Educação, Elder Maia, disse que o retorno das aulas teria todo o apoio da Semed, incluindo distribuição de equipamentos de proteção individual e compra de insumos para a manutenção das escolas.

Em 15 de março, o secretário, durante uma live que abria o ano escolar remotamente, prometeu “melhores condições de conteúdo, conectividade e infraestrutura” nas escolas.

Disse ainda saber “da importância de termos engajamento para tonar a educação mais inclusiva, mais justa e mais qualificada em Maceió”. Prometeu, ainda, escutar mais as demandas dos professores.

“Nunca tivemos apoio e somente existem cobranças por resultados. Mas como ter resultado numa escola que nem tem papel?”, disse um professor da escola ao blog.

Resposta do secretário Elder Maia

1 – A Semed está, desde o mês de fevereiro, entregando equipamentos administrativos, tais quais comutadores, impressoras e demais. Todas as escolas que necessitam de tais equipamentos e que solicitaram irão receber. Também já entregamos para todas as unidades da rede kits de EPIs (com tapete santificante, álcool e gel, aferidos de temperatura, máscara, etc).

2 – As escolas que não dispõem de equipamentos para impressão de material terão à disposição uma central de cópias, que já está funcionando na Semed Cambona. Ainda não se estimulou a ida até essa central par evitar contaminação nessa fase mais critica da pandemia.

3 – A Semed tem um plano de ação para as aulas remotas. Esse plano tem quatro dimensões: a) disponibilização de material impresso; b) disponibilização dos conteúdos das aulas (síncronas e assíncronas) e de programas educacionais através da TV UFAL, canal 8, TV aberta. Em quarenta dias, no máximo, tais conteúdos serão veiculados e disponibilizados para os estudantes da rede municipal. A Semed também está desenvolvendo também uma plataforma e um APP para as aulas remotas. Através desse App os estudantes terão acesso aos conteúdos digitais.

4 – Os problemas mencionados, assim como outros, serão resolvidos o mais rápido possível e dependem da sua complexidade. A atual gestão assumiu um quadro dramático da educação municipal. O município de Maceió tem, hoje, os piores indicadores educacionais entre as 27 capitais brasileiras.

5 – Contatamos, através de diagnósticos localizados, que cerca de 20% das escolas de ensino fundamental têm dificuldade de imprimir material impresso. Exatamente para sanar esse problema, criamos e disponibilizamos a central de cópias.

Uma resposta

  1. Infelizmente essa reportagem inao representa a verdade sobre a nossa escola,que desdo inicio da pandemia realizamos um trabalho presencial e de assistencia as nosssas comunidades ,se possivel compareça a nossa escola para conhecer a verdade dos fatos.Gilda Verbenia ,fraternalmente ,a direção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O AUTOR