Educação prepara avaliação diagnóstica para ajudar escolas a traçar estratégias pedagógicas

Após mais de um ano sem aulas presenciais, várias lacunas surgiram no aprendizado de todos os estudantes, e na rede municipal de Maceió não seria diferente. Tendo em vista a superação desses obstáculos, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) preparou uma avaliação diagnóstica que ajudará as escolas a identificarem os principais déficits dos estudantes e trabalhar estratégias para supri-los.

Após a aplicação dos testes, que deve ser feita na terceira semana após a volta das aulas presenciais, a Diretoria Geral de Educação (DGE) da Semed irá tratar dos dados com as escolas, ajudando a traçar estratégias pedagógicas. Segundo Juliane Medeiros, coordenadora do Ensino Fundamental na rede municipal, o contexto pandêmico e a falta de vivência escolar presencial impactaram no aprendizado dos alunos.

“Esse diagnóstico servirá também para nortear as ações pedagógicas para os próximos anos. O nosso objetivo é a recuperação das aprendizagens e a consolidação delas. Tivemos um período remoto muito difícil e precisamos entender se os nossos alunos avançaram, estagnaram ou regrediram na aprendizagem?”, diz a coordenadora.

A Avaliação Diagnóstica já está sendo impressa na Central de Cópias da secretaria e deve ser distribuída nas escolas para aplicação no início das aulas, logo depois do período de acolhimento aos estudantes e docentes. Ela será aplicada do 1º ao 9º ano, no caso da língua portuguesa e matemática, e no 2º no caso da prova de fluência, que busca acompanhar o domínio do português dos estudantes no fundamental.

Para ajudar as escolas na elaboração dos planos, a Semed irá disponibilizar profissionais formados em Letras, Matemática e Pedagogia, que trabalharão com a direção e professores na identificação das habilidades prioritárias e como exercitá-las nos alunos.

Prova do Saeb

A secretaria se prepara também para a realização da prova do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb), que deve ocorrer no final do ano. Aplicado em todo o país, ele ajuda a determinar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) das escolas.

De acordo com Juliane Medeiros, a coordenadoria do Ensino Fundamental irá realizar uma série de formação com os professores da fase entre setembro e outubro, para melhor preparar os estudantes para a avaliação.

“A prova ocorrerá no 2º, 5º e 9º ano, e iremos trabalhar com os professores dessas turmas para que eles possam fazer um planejamento mais focado e que, apesar dos pesares, com esse momento de ensino remoto que vivemos, nossos alunos possam ter um bom resultado”, detalha.

Luan Oliveira (estagiário) / Ascom Semed

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *