BLOG

De olho no Governo, Cunha busca provas contra Renan Filho para suspeição de Calheiros na CPI

De olho no apoio de Jair Bolsonaro e à frente na corrida ao Governo segundo levantamento do instituto Paraná Pesquisas, o senador Rodrigo Cunha (PSDB) busca fatos em Alagoas que possam justificar a suspeição do senador Renan Calheiros (MDB) na CPI da Covid.

Calheiros é relator da CPI. O Palácio do Planalto opera para afastar o senador por ele ser pai do governador Renan Filho (MDB). Mas, não existem investigações contra o governador alagoano que justifiquem a suspeição, por enquanto abstrata, de Renan Calheiros.

Sem argumentos, aliados de Bolsonaro acumulam derrotas tanto na tentativa de obstruir os trabalhos da CPI quanto na Justiça.

Por isso, Rodrigo Cunha mira a compra de 300 ventiladores clínicos de UTI via Consórcio Nordeste junto à empresa Hempcare. A Operação Ragnarok, da Polícia Civil da Bahia, investiga a compra destes equipamentos por R$ 48 milhões, pagos antecipadamente pelo Consórcio Nordeste, mas sem a entrega deles.

Para o senador, Alagoas teria sido um dos estados lesados na fraude. Ele quer saber onde está o dinheiro para a compra destas máquinas que deveriam estar funcionando nos hospitais do Estado.

A expectativa é que, pondo Alagoas entre os alvos de requerimentos da CPI, Rodrigo Cunha consiga descobrir fatos que justifiquem a suspeição de Renan Calheiros via Renan Filho, abrindo as portas do Palácio do Planalto para a sua eleição em 2022.

A estratégia do senador tucano é que, mesmo não avançando na CPI, o desgaste de Renan Calheiros e Renan Filho beneficie sua candidatura ao Governo de Alagoas.

A CPI da Covid investiga o dinheiro repassado aos estados pelo Governo Federal durante a pandemia. Mas, segundo ficou definido pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), isso não abrange o uso deste dinheiro nos estados.

Um dos integrantes da CPI, o senador Randolfe Rodrigues (Rede), reforçou que são alvos da CPI os repasses de dinheiro federal aos estados e os critérios deste repasse. Disse ainda que existe relatório do Tribunal de Contas apontando que existem municípios brasileiros que receberam repasse a menor, via União, para ações contra a pandemia.

Este xadrez não interessa ao presidente da República. Ele acusa governadores e prefeitos de corrupção, usando o dinheiro da pandemia.

Visita presidencial

Na próxima semana, Bolsonaro vai estar em Maceió para inaugurar um conjunto habitacional e ter encontro com o prefeito, JHC (PSB), rival dos Calheiros e aliado de Rodrigo Cunha.

O presidente deve ter um encontro com Renan Filho. Semana passada Bolsonaro ligou para o governador, na tentativa de mandar um recado a Renan Calheiros sobre sua atuação na CPI da Covid.

Bolsonaro também ligou para o ex-senador José Sarney, com quem Calheiros tem laços de amizade.

O presidente também deve ter encontros com bolsonaristas locais, sempre mirando os Calheiros.

Pesquisa

Segundo o instituto Paraná Pesquisas, Rodrigo Cunha tem 22,5% dos votos na disputa ao Governo, se as eleições fossem hoje, e o secretário de Segurança Pública, Alfredo Gaspar de Mendonça, tem 16,1%. Ele é apoiado pelos Calheiros.

Os Calheiros também perderiam a disputa se, ao invés de Rodrigo Cunha, o prefeito JHC virasse candidato ao Governo. Jota tem 31,2%. Rui Palmeira (15,3%), Alfredo Gaspar (13,3%), Davi Filho (6,3%), Marx Beltrão (5,6%), Antônio Albuquerque (5,1%) e Marcelo Victor (2,6%) viriam em seguida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O AUTOR