BLOG

Ronaldo Lessa e a estranha escolha pelo silêncio

O vice-prefeito Ronaldo Lessa (PDT) sumiu da parte mais visível do cenário político alagoano. Nas redes sociais, é presença rara; também é raro estar com o prefeito JHC (PSB) nas ruas; na indicação de Patrícia Mourão para a Secretaria de Turismo, o nome do partido era Judson Cabral. O prefeito escolheu Mourão.

Lessa nem opinou nem apareceu para falar sobre o assunto.

O que se sabe é que a opinião de JHC e Lessa é divergente quando se fala do Governo Jair Bolsonaro, com quem Jota busca manter aproximação, de olho numa terceira via eleitoral para 2022, com o senador Rodrigo Cunha (PSDB) encabeçando uma provável candidatura ao Governo de Alagoas.

A própria posição do vice no próximo ano é um mistério. Ele será candidato a deputado federal? Vai encarar o Senado?

Dúvidas que permanecem sem respostas.

Ciro Gomes é o líder do PDT nacional. Escolheu, por exemplo, não aparecer nas duas manifestações contra Jair Bolsonaro.

Lessa adotou o mesmo caminho. Em Maceió, não vai para as ruas.

Assessoria corrige blog: Lessa falou sobre indicação de Patrícia Mourão

Texto do portal Politizando

Em conversa com o portal Politizando Alagoas, o vice-prefeito Ronaldo Lessa e o superintendente João Folha falaram sobre o atual momento do PDT e da gestão da Prefeitura de Maceió.

Ronaldo afirmou que sempre utilizou a lista tríplice enquanto recurso por acreditar ser mais democrática, conferindo mais flexibilidade e empatia entre o gestor e o partido ou o órgão que está indicando as nomeações.

Na ocasião, o vice-prefeito reforçou o apoio do PDT à nomeação de Patrícia Mourão à frente da Secretaria Municipal de Turismo, afirmando que, com certeza, Patrícia fará uma ótima gestão.

Lessa ainda explanou sobre a suposta “crise” no PDT de Alagoas, negando a existência desta, mas afirmando que existe uma espécie de insatisfação no grupo de apoiadores de Judson Cabral:

“A insatisfação de determinado grupo não resvala na gestão do prefeito JHC, claramente, por não serem contempladas na indicação, podemos ter algumas pessoas ofendidas com a escolha do prefeito, como se ele fosse obrigado a escolher o nome que tal grupo entende como o melhor. Bem como pode ter acontecido com os apoiadores de Flávio Dória”, disse Ronaldo.

Por sua vez, o superintendente João Folha ressaltou que as notícias sobre a suposta “crise” do PDT de Alagoas são inverdades direcionadas e incoerentes:

“Primeiro, eu sou o tesoureiro da Executiva Municipal e não houve nenhuma reunião para tratar de indicações do partido em relação à pasta do Turismo. Se houve, me deixaram de fora. Segundo, o que foi apresentado internamente no partido foi que chegaram no consenso de que o Judson era uma prioridade, porém, seria enviada uma lista tríplice com os nomes de Patrícia Mourão e Flávio Dória, e assim foi feito”, falou o superintendente.

João Folha também enfatizou desconhecer qualquer “racha” entre a ala histórica e a ala jovem do partido, afirmando que as instâncias Executiva Estadual e Executiva Municipal estão trabalhando em conjunto como sempre aconteceu:

“Se existe crise no PDT, eu desconheço. O partido integra a Prefeitura de Maceió através do vice-prefeito Ronaldo Lessa e duas pastas principais: a Superintendência de Iluminação Pública e a Secretaria Municipal de Turismo. O PDT continua aliado com o grupo político que ocupa a Prefeitura hoje. Internamente, talvez, alguns membros estejam insatisfeitos com as decisões do partido e estão transformando suas opiniões pessoais em partidárias”, afirma João Folha

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O AUTOR