Polícia descarta racismo em morte dentro do Carrefour

Roberta Bertoldo, da 2a delegacia de homicídios e proteção à pessoa em Porto Alegre, descarta que houve racismo no caso envolvendo espancamento e morte por asfixia de João Alberto Silveira Freitas, 40 anos.

As informações são da Folha de São Paulo. 

A família contesta e diz que houve racismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido!