BLOG

Não desista da poesia

Uma realidade forjada pela mais perversa intencionalidade política concretiza a dor em nossas entranhas manipuladas, tantas vezes sacrificadas no altar da parca esperança de apenas sobreviver…eis o tema da hora.

Na resistência real eis a batalha de agora: vencer essa dor e despedir esse mal!

Quero rasgar esse véu de pesar, sem pisar na humana sensibilidade; alçar a subjetividade ao encontro dos que acreditam na força que está além do prego que prende a carne e sangra a ilusão gotejando medo.

O segredo é não esquecer de nós.

Reveja suas fotos, visite seu velho diário, volte a rir com as bobagens partilhadas, as gafes e as desobediências que floresceram do lado de fora das grades.

Recupere pouco a pouco os gostos simples, e se possível olhe no espelho sem exigências, aceitando o envelhecer vitorioso nessa névoa de caos que desfigura a imagem da vida.

Quem forjou a derrota não conta com a poesia. Quem zomba do nosso choro não merece o silêncio das nossas saudades.

Explodir renascimento é garantir futuro.

Fecha os olhos e sente o vento, ainda há rosto para acariciar.

Não desiste de ser inspiração. A madrugada está rasgando o caminho da luz incessantemente. As pétalas esmagadas um dia ressurgirão em formas novas.

Faz desse mosaico uma armadura. A luta está em curso e precisa de você!

VEJA TAMBÉM

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O AUTOR