Djavan afirma em nota não ter apoiado Bolsonaro (Você acredita?)

Por Golbery Lessa

O meu conterrâneo Djavan escreveu essa nota abaixo no seu perfil oficial, dizendo que não apoia e nunca apoiou o atual governo do país. Pareceu-me, como a muitas pessoas à época, que, após a vitória do Bolsonaro na eleição de 2018, Djavan declarou claramente, contra todas as evidências em contrário, que o Brasil estava em um momento de esperança política.

Ora, todo mundo que tinha uma trajetória de combate às opressões, como ele afirma ter na citada nota, sabia claramente que íamos entrar numa conjuntura política liderada por um governo neofascista.

Então, mesmo levando em conta a necessidade de ser generoso com o erro dos outros, necessidade imperiosa para quem é humanista, não vejo como acreditar que aquela declaração do Djavan em 2018 não representou uma clara adesão à onda bolsonarista. Basta sublinhar as palavras que usou no vídeo que circula até hoje na internet: “Tudo que está acontecendo agora aponta para a esperança. A gente não pode garantir porque o governo está se formando ainda.” Na sequência, ele diz, em consonância com o discurso bolsonarista, que “Tudo depende da política de segurança. Tendo segurança, haverá saúde e educação.

Minha conclusão, como pessoa e admirador da obra do Djavan, é: foi uma opinião trágica, oportunista, elitista, absurda e perversa; e sem a desculpa da desinformação ou da falta de cultura. Passada a onda triunfal e se ampliando a impopularidade do governo, após provada sua natureza neofascista, o Djavan parece não querer o ônus advindo da agora contraproducente companhia de Bolsonaro. Esse episódio tira totalmente o brilho de sua carreira, que é fundada em uma poesia/música popular sofisticada, radicalmente comprometida com a arte dos seus ancestrais e os melhores valores humanos, sem relação alguma com o fascismo.
Não tenho dificuldade de perdoar o Djavan, mas apenas se ele fizer uma autocrítica sincera e não se apresentar, como faz, uma desculpa mentirosa e inconsistente.


Djavan
4tSnhSponsi ohredh ·

“Em 2018, tentaram me associar a esse governo por eu ter dito em entrevista que tinha esperança no futuro do Brasil. O futuro, para mim, pertence ao povo que sempre poderá buscar – nas ruas e nas urnas – as transformações sociais que farão do Brasil um país livre e próspero.

Depois de dizer algumas vezes que aquilo era mentira, eu percebi que de nada adiantaria: o desmentido na internet tem efeito contrário, coloca a mentira em evidência.

Tenho décadas de vida pública e uma longa carreira, e quem me conhece sabe dos meus posicionamentos sobre política, problemas sociais, culturais, raciais, homofobia, xenofobia etc. Por isso, é impossível haver qualquer compatibilidade entre mim e um governo errático, que tem atuado na contramão da ciência e que, sempre que pode, demonstra seu desprezo pela democracia.
Não tem cabimento.

Eu NÃO votei no Bolsonaro e NÃO apoio o seu governo.
Djavan”

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *