BLOG

Divaldo Franco e uma reflexão sobre espíritas progressistas

Texto escrito à guisa de reflexão. Nascido após a dura tarefa de ver e ouvir dois vídeos produzidos pela Mansão do Caminho, em um solo de Brasil apolítico, que trata a existência humana como uma fatalidade a arrastar uma destinação inevitável, para o lançamento de um livro declaradamente escrito pelo espírito Manoel Philomeno de Miranda através da mediunidade de Divaldo Franco.

O ambiente místico/religioso do evento traduz a ideologia mor dos seus organizadores, que reiteram a ideia punitiva com relação à rebeldia, sempre vinculada aos apetites humanos na alçada de prazeres e vícios, com pauta estendida também para protesto e manifestações políticas de rua.

A pandemia continua sendo tratada como fenômeno isento de interferência política, e o próprio Divaldo afirma que “as autoridades não podem fazer o que nos cabe fazer”, com relação aos cuidados sanitários. Tudo ajustado ao isolamento de responsabilidades do presidente que essa grande margem de espíritas ajudou a eleger.

O silenciamento sobre o genocídio de Bolsonaro na pandemia é tão ensurdecedor quanto a crítica ao uso de armas.

“No rumo do mundo de regeneração” é o livro que reúne narrativas verdadeiramente preconceituosas, moralistas, acusando a humanidade de ter colocado Deus em um plano secundário e elegendo a presença do vírus como parte de um processo de mudança moral do planeta.

Pimba! Acertou no coração do senso comum espírita-religioso!

Enquanto esta semeadura de sombras com fundo musical religioso é feita com sucesso no lado ortodoxo e bolsonarista do meio espírita brasileiro, no lado dito progressista floresce a discórdia infundada, a acusação vil, o silenciamento combinado de vozes importantes na propagação da libertação do espírito e envolvimento social e político do mesmo como recurso evolutivo.

Enquanto o livro de contexto amargo (acima citado) conta com o incentivo de milhares de fanáticos, vozes surgidas das plataformas progressistas acusam pessoas preparadas para influenciar outros debates através da escrita, da fala e produção de documentários, de mercadoras do espiritismo!

Precisamos enfrentar este diálogo!

Percebemos que refutar Bolsonaro e sua política de morte não é suficiente para embasar uma jornada de contra-hegemonia no meio espírita brasileiro!

Existe uma ética de respeito ao companheiro de propósito libertário que está sendo quebrada e com isso o próprio movimento intitulado progressista abala.

Se de um lado temos Divaldo eleito o santo dos espiritólicos, do outro temos agressões e cancelamentos que afetam qualquer possibilidade de fermentação progressista.

Lamentável resumo para iniciar o ano das piores previsões sociais e econômicas do Brasil contemporâneo, para nós, os espíritas que atuam na perspectiva libertária, em compromissos de luta por justiça social e preservação da vida.

A voz cristofascista recebe aplausos no topo da ortodoxia. Divaldo Franco ecoa com voz melosa o fortalecimento do bolsonarismo entre os espíritas.

Esse é o texto de reflexão.

 

50 respostas

  1. Voc ê reparou Ana nas palavras usadas na “mensagem de divulgação”. Selecionei essa aqui: telementalizadas – palavra trazida do livro Loucura e Obsessão ““O vampirismo desenfreado constituía recurso de sustentação dos filiados à grei hedionda, na qual mediante fenômenos de ideoplastia, de telementalização e hipnose se consumavam programas da mais vil qualidade […]”. (Cap. 5, Sombras e dores do mundo, p. 55).” Ou seja, Ismael está usando a linguagem de Manoel Philomeno?! Importante: Essa palavra – telementizada – não existe no dicionário: é um neologismo. Logo, duvido que seja uma psicografia. Está mais para produção de alguém que está bem vivo nesse planeta.

    1. Márcia Costa, no início diz que é “um texto à guisa de refelxão.” Não li em nenhum momento que se trata de psicografia. Ou não li que seja! É um texto de alguém bem vivo, sim. Por sinal, muito bem escrito!

    2. Não tenho a menor dúvida quanto a isso. Aliás, o que deve ter de espírita pseudo psicografeiro por aí. Vamos combinar que é muitíssimo fácil escrever um monte de frases melosas e depois tacar um nome pomposo de espírito para dar mais credibilidade. Para mim, Divaldo faz isso há muito tempo.

    1. Gecy Marty, concordo contigo. Como pode uma pessoa espírita, palestrante, autor de tantos livros apoiar torturador, sexista, homofóbico etc etc, sendo que a doutrina espírita prega exatamente o contrário do que faz esse (des)governo.

    2. Concordo com você. O texto deveria ser curto e grosso, pra mostrar que Divaldo sempre esteve a serviço das poderosas oligarquias, primeiro na Bahia e no Nordeste sugado até a medula dos ossos, e depois a serviço das classes dominantes do Brasil e do Mundo, já que se arvorou em divulgador da fé.

    3. Com que autoridade Divaldo fala sobre política apoiando Bolsonaro. Lamentável que Espíritas tenham sido induzido a erro apoiando esse falso evangeĺico chamado Bolsonaro. Sugiro que faça uma pesquisa no Google: Manual de Conduta Espírita recomendado pelo espírito de André Luiz.

  2. Ter em mente de um cristão o uso de armas ,ser contra a ciência.
    Já está em dessonancia com respostas dadas a Kardec no livro dos espíritos [textualmente diz … NA DUVIDA ENTRE CIÊNCIA E O ESPIRITISMO ,FIQUE COM A CIÊNCIA]
    Relação as armas? Cristo preferiu o castigo injusto e o sofrimento e depois perduou tudo ao ENFRENTAMENTO.
    BOLSONATUSMO EU CRISTIANIDMO ESTÃO EM LINHAS PARALELAS, nunca se ENCONTRARÃO.

  3. Divaldo passou a vida, construiu obras, lambendo botas dos militares. Esperar o que. Pouca coisa dele li. Não gosto de suas palestras e sua defesa da FEB. Arrumaram outro substituto, já que este está com o pé na cova, o Dutra, pseudo intelectual, pegajoso, metido a saber de tudo. Na casa que participo é sou dirigente estudamos Kardec é ponto.

  4. Infelizmente, Divaldo ainda influencia negativamente muitos espíritas, nas casas que conheço e participo sei que estão lotadas de bolsonaristas ferrenhos!Ao meu ver ,precisamos de uma forma equilibrada descontextualizar a fala de todos eles ,pontuando a essência do Ev nas mínimas ações do dia a dia,dentro e fora das casas espíritas!

  5. Infelizmente, Divaldo ainda influencia negativamente muitos espíritas, nas casas que conheço e participo sei que estão lotadas de bolsonaristas ferrenhos!Ao meu ver ,precisamos de uma forma equilibrada descontextualizar a fala de todos eles ,pontuando a essência do Ev nas mínimas ações do dia a dia,dentro e fora das casas espíritas!

  6. Se envolver com o espiritismo se perde o prazer de viver com satisfação interior. Já fui espírita, conheço muito bem a farsa dos espiritas sobre espiritismo. Para mim sair do espiritismo foi muito complicado! Hoje me sinto feliz longe do espiritismo.
    Eu não crítico o espiritismo em vão, pois já passei por Ele.

  7. Vejo com tristeza esse reacionarismo espírita, público que se diz esclarecido. Esse povo está fascinado. Como explicar o apoio a alguém cujo mandamento é “armai-vos uns aos outros”, e que defende a tortura, mal que acabou com um homem a quem puseram uma coroa de espinhos, açoitaram, fizeram carregar uma cruz e puseram uma bucha de vinagre na boca? Esses espíritas não entenderam nenhuma palavra de Jesus.

  8. Sim: exatamente isso! Estamos travando uma batalha da guerra eterna da evolução verdadeira, contra aqueles que usam das palavras , destorcendo-as, a uso do genocídio, militarismo e preconceitos.
    O espiritismo não está diferente de outros eventos no país, não podendo estar alheio a escolhas injustificadas pelo fascismo.
    Um divisor de águas emerge para trazer o empenho sócio político como necessário a evolução da missão espiritual de todos aqueles que realmente assumem suas consequências.
    Precisamos de uma nova apresentação da doutrina espírita, ou ela será assassinada pelas balas das armas dos bolsonaristas e suas gargulas insanas pela demência elitista.

  9. Quanto ódio desnecessário destilados em poucos parágrafos.
    Ataques gratuitos com adjetivos carregados de muita bílis.
    Se o texto viesse com proposições e ideias respeitosas, ao invés de combate aberto e “faca nos dentes”, estaríamos vendo realmente um Espiritismo Progressivo com base em Kardec e Jesus.
    Assim está mais para “Regressivo”. Para que tantas ofensas? Aconselhável seria usar o espaço precioso para defender sua ideia, quem sabe o leitor poderia entender melhor que se pensa, né?
    “Quando Pedro fala de Paulo, conheço mais o Pedro do que o Paulo”
    Só para refletir também!
    Sem ofensas.

  10. Divaldo também é fruto de seu meio, assim não é difícil entender o “modus” de sua fala e de sua conduta.
    Necessário lembrarmos que na experiência presente de Divaldo, ele vivenciou um momento da experiência brasileira em que espiritismo acabava de deixar de ser considerado crime de curandeirismo, o que aconteceu até aproximadamente 1890-1960, assim, em suas iniciativas sociais na Bahia, não somente enfrentou resistência, por conta de buscar a legitimação para aceitação de sua crença, posteriormente nos vimos dominados pelo regime militar deflagrado em 1964 – 1987. Cada qual enfrenta tais experiência como melhor lhe convir.
    Assim, no que toca as expectativas de Divaldo por realizar suas atividades sociais, não me parece incoerente que a conduta dele seja a de não enfrentamento político ou de apropriado do debate político, porque, resta bastante claro que ele não possui compromissos com as instituições políticas temporais constituídas.
    Ele viveu e trabalhou sob democracias parlamentarista, presidencialista e ditaduras, nesse tocante, parece acertado que suas manifestações públicas, escritas ou faladas, sejam deslocadas e avessas a política senão pelo sentido de buscar a sobrevivência do espiritismo.
    Porém, não podemos confundir a experiência e anseios e manifestações políticas pessoais do Divaldo, com o viver e conjunto de experiências com as dos espíritas que se auto intitulam “espíritas progressistas” ou talvez que possuam alinhamento político mais a esquerda.
    Em verdade, não há proibição alguma a constituição de grupos voltados aos estudos dos paradigmas políticos, sob ótica espírita, ou mesmo com proposições reformadoras dos viver espírita. Talvez estes espíritas inclusive herdem o espiritismo institucional, se seus propósitos forem maiores e melhores.
    Ocorre que, os tais ânimos reformadores podem e devem se manifestar na vivência política de tais espíritas com tal consciência, o que, cedo ou tarde, fará impregnar o espiritismo institucional de tais ânimos, mas é preciso que tais espíritas herdem dos atuais, as instituições, para alçarem um maior campo de fala.
    É preciso também que dialoguem e esclareçam suas pautas. Dado que, a atividade política espírita, deve acontecer na vida política geral, não somente institucional. Devemos fazer lembrar a eles, atuarem com coerência, se a nós a coerência é também cara, já que não existe hierarquia entre espíritas. Porque nos custa tanto assim lembrar que se seriam, para eles impertinentes, comentários políticos a esquerda, comentários políticos a direita também o seriam.
    O trabalho é árduo, mas se for verdadeiro, há de prevalecer, nesse tocante, a lógica e a vida que a verdade alberga, deve ser o guia para todos aqueles munidos de boas intenções e atitudes.
    A cizânia referida por Kardec, em livro dos médiuns, não se verifica pelo fato do espiritismo institucional ser criticado, porque as instituições devem acompanhar as reformas. Pelo contrário, a cisão dos espíritas, pode ser provocada pelas próprias lideranças que não sabem compor os interesses e entendimentos de todos, que acabam por tratar os companheiros de propósito espírita acuando-os e, aqueles que poderiam dar contribuições valiosas ao grupo, acabam abandonando os esforços de participação, sem re reintegrarem a outros grupos ou lugares.
    Não obstante, os espíritas são chamados a uma árdua tarefa, a conscientização de si mesmos e a dos outros e devem entender que toda luta para esclarecimento exige esforços moderados conforme o entendimento daquele com quem se fala, principalmente quanto mais radical for o espírita em suas crenças políticas.

    1. Olha, eu acho muito válido religioso se abster sobre quantidade de temas. O que não acho válido é a abstenção seletiva. Não falo sobre queimadas mas falo sobre ideologia de género. Não falo sobre milicias mas falo sobre Lava Jato. Meu gato é apolítico. Mas ele não apoia ninguém nem critica ninguém. Queriam que ele fosse ao menos como meu gato.

  11. Também não posso entender o apoio a alguém que declara, alto e bom som, que é a favor da tortura, do enfrentando com armas. A conta não fecha.
    Mas existe irmãos desencarnados, muitos e muitos, que se passam por outros para disseminar mensagens como se de mentores viessem.

  12. Gostaria muito acreditar que não tenha o Divaldo feita determinadas colocações como consta no editorial do blog.
    Ser progressista é subir também a cada existência os degraus no processo evolutivo.
    Seria um contra senso, um líder espiritual trazer a divisão com uma nota, como essa, para o seio do espiritismo.
    Bolsonaro está sendo necessário em nossa caminhada evolutiva, sem sombra de dúvidas, como foi também o Mussolini, Hitler, Napoleão, Gengis Khan, Império Romano e outros Genocidas e Assassinos, de fato, que passaram pelo planeta.
    Mas nem por isso podemos assistir calado as dissimulaçoes, mentiras, crimes e entre outras aberrações, e não fazer nada. O sofrimento nos eleva, mas usar isso como sofreterapia, caracteriza omissão, afinal atitude como essa beira ao desconhecimento, ignorância e até hipocrisia, tudo em nome do espiritismo.
    Será que as fogueiras das vaidades de alguns, continuam acesas? Penso que sim.

  13. Problema não é meu, se vira! “Deixe os mortos enterrarem seus próprios mortos” – na hora da morte a conta da consciência vem. Fiquem tranquilos. Isso não vai mudar nada mesmo. Muito amor aos “cristofascistas” e ao bolsonaristas; porque, coitados, o eles têm além da ignorância e da mentira: nada. Então, muito amor pra estes pobres míseros.

  14. Sou médium a trinta anos, e asseguro que na imensa maioria de vezes, me deparo com espíritos com problemas espirituais, presos a um obsessor ou que ainda não se deram conta que morreram, muitos de forma violenta ou através de tragédias, assassinatos ou torturados pelos mais diversos motivos, políticos, guerra, crimes passionais, ganancia, poder etc.
    Não entendo como esses médiuns só conseguem entrar em contato com anjos ou espíritos de luz, que habitam outras dimensões, e deixam os sofredores sofrendo.
    Tem algo errado nesse reino que não consigo entender.

  15. falar de “grei hedionda” não é proprio de um espírito iluminado. Não sei a quem se refere com isso, aliás, já tenho um bom tempo que não ouçõ nem analiso mensagens que são no melhor dos casos absolutamente intranscendentes, e no pior, um palanque político absurdo.

    Mas, lendo a cita “grei hedionda”, já tenho um carimbo de boa coisa tal mensagem não pode ser.

    Benevolencia se requer.

  16. Todo esforço do Kardec p ver o movimento se tornar essa coisa jacu de hj em dia. Divardo tem uma obra assistencial belíssima, gigantesca, ms poderia ( ou deveria?) se calar nos aspectos políticos.

  17. Sinceramente!?
    Eu não quero ter todos esses títulos para escrever tamanha besteira num blog.
    Eu prefiro mesmo é fazer, como Divaldo, a diferença numa existência, num plano de provas e expiação, na vida de aproximadamente 6.000(seis mil) famílias num bairro de pobreza extrema e violento.
    Eu qdo crescer, gostaria de ser corajosa como Divaldo Franco, e sacrificar toda uma existência em prol do próximo.
    E é só uma “palinha” do quanto ele já fez e faz na vida de muita gente, pq não dá pra elencar 92 anos servindo a Jesus Cristo.

  18. Interessante ler um texto em que a autoria julga um livro que ainda não leu (pois na data da postagem, apesar de anunciada a obra não havia sido disponibilizada).
    Como expressão do livre árbitro toda a ideia é bem vinda dentro da ampla reflexão espírita. No entanto, encontramos apenas um texto acusatório de embasamento extremamente pobre. A política assassina do governo federal tem encontrado eco em movimentos que, embora ideologicamente opositores, brandam a bandeira do ódio como se as ideologias de contexto importassem mais do que as verdades do espirito. Vejamos que o próprio Cristo discordou muito, mas lutou com as armas adequadas a perspectiva do olhar libertador. O que vejo aqui, pelo menos em minha interpretação, são as amarras do espírito sendo cultivadas em expressão de raiva. Somente isso. Vejam que o que os espíritos falam a Kardec sobre o “espírito de sistemas” na primeira obra da codificação. Ou será que lá também seriam falsas comunicações?
    Espero que o bom senso impere em nossas reflexões.
    Um abraço!

  19. Ser progressista é chamar o Presidente Bolsonaro ou qquer outra pessoa de GENOCIDA? Vcs provam na Justiça as acusaçoes?Que texto nojento – é a cara de quem escreveu- que tal escrever algo mostrando os caminhos que vcs chamam de progressistas? Sabia que vc só enxerga no outro o que vc carrega em si mesmo?…enfim COISA FEIA…DESOCUPADA..vai cuidar de tuas doenças…e deixa a vida alheia…a Doutrina Espirita ñ precisa da sra…ou sr…

  20. Quem somos nós para falarmos do Divaldo? Será que vcs são espíritas mesmo? Que obras vcs possuem?
    Chamar uma pessoa de Genocida é algo que não acredito de uma pessoa que se diz espírita.
    Portanto, não julgue para não ser julgado, algo que acho que vcs não possui no coração “Evangelho”.

  21. Pelo que vi e vejo nos sites de notícias ou entrevistas desse (religioso) ele é um porta-voz-estremista que odeia pobre , é do tipo pobre é pobre e tem que ficar onde está e onde sempre esteve, um (CARMA) que tem que seguir, essa é a pregação dos chefes religiosos não importando seu dogma religioso, inacreditável como existe seres assim.

  22. Não consigo entender o apoio a alguém que declara, que é a favor da tortura.
    Li alguns livros do Divaldo e assisti muitas de suas palestras. Não me arrependo.
    Respeito seu trabalho assistencial(que deve ter apoio de muitos políticos e que sobrevive desde a ditadura até os dias de hoje) mas penso que a idade em que ele se encontra pode ter liberado suas opiniões pessoais que parecem mesmo contrárias ao que vemos no Evangelho e nas respostas dos Espíritos a Kardec.
    Concordando com o comentário do Tiago aqui: ” Muito amor aos “cristofascistas” e ao bolsonaristas; na hora certa a conta da consciência vem para todos nós.

  23. Belo texto e bem vinda reflexão ANA! A tempos DIVALDO é LIDER espiritólogo e declarado atual espiriminion. Com este ele e o GADO BOLSONARISTA não tem com ter diálogo, pois se ouve somente mugidos: e o pior todos em tons melosos pseudo espiritas e pseudos cristãos.

  24. Uma vergonha hj em dia muitos espíritas tbm são bolsonaristas ferrenhos, incorporando os seus discursos misógenos, homofóbicos, racistas, bélicos e facistas. Uma lástima para uma religião que cultua a caridade e o perdão.

  25. Não tenho tempo para ler tudo, pois trabalho, felizmente. É triste ler este texto e muitos comentários. Mesmo o plano espiritual dizendo, a esquerda espírita não acredita.. quer que Deus desça e diga então? Só falta rs
    A meritocracia é a base do espiritismo.

  26. Que Deus tenha piedade da alma de vcs, não sabem o que dizem, não sabem nada sobre Divaldo, um homem que abriu mão de sua vida com a missão de ajudar a humanidade a se elevar. Na própria bíblia fala de servos do Senhor. A humanidade está cega pelo sexo desenfreado, falta de amor e compaixão ao próximo. Divaldo mantém um orfanato todo o recurso dos seus livros vai para a instituição ou para a FEB. Mas se vcs preferem dar dinheiro ao Bispo Macedo para construir mais mansões. Aí é com vcs.

  27. Vejo que a humanidade deveria ser mais humana e menos divina. Infelizmente há muitos dispensando energia para atacar trabalhadores espíritas e não cumprindo sua própria agenda evolutiva.

  28. Não sou espírita, nunca reconheci em mim uma experiência mediúnica. Acho que uma pessoa que tenha a certeza da vida eterna tem, a princípio, uma grande benção. Pois a ideia do fim tira toda a justificativa da aprendizagem que temos nessa vida. Então, não sendo espírita e lendo os comentários, estou assustado que espíritas encarnados nesse país nesse momento defendam o Bolsonaro. Não sendo espírita, mas imaginando o progresso do espírito, defender ou, pior, não combater Bolsonaro seria uma sinal de letargia espiritual. Imagino que os espíritos, encarnados ou não, que combatam Bolsonaro, suas ideias e posturas, podem e até devam se auto denominar progressistas.
    Ser progressista não é apenas criticar Bolsonaro, mas não criticar Bolsonaro é não ser progressista.

  29. Alan Kardec diz, que se reconhece o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que emprega para domar suas invlanaçoes más.
    Divaldo dedicou sua vida inteira ao bem e ao próximo, será que as pessoas que o acusam tanto, tentam colocar o seu trabalho e o seu nome na lama, fizeram um por cento do que ele fez em dedicação ao próximo?
    O espiritismo nos ensina o amor e não essa baixaria que está acontecendo aqui. Com base em julgamentos esdrúxulos.
    Uma doutrina que não nos ensina a julgar , mas a perdoar e amar.

  30. Meus respeitos a todos.
    A militância política no meio espírita não merece guarida nas obras básicas de Kardec que norteiam nossas atividades cristãs. Fomos recrutados para a semear o amor e paz. Logo a nossa militância é em favor da caridade e amor ao próximo. Fora disso não há evolução.

  31. Divaldo errou feio a mão. Vim procurar críticas acerca do livro pois tive a mesma impressão que vc, de um livro feito por encomenda para vender a imagem de um presidente isento de responsabilidade em uma pandemia que ele ajudou a disseminar com suas idéias débeis e genocidas. Parei de ler o livro na metade e não voltarei mais a lê-lo. Foi perceber as ideias subliminares ali contidas que, logo procurei alguma crítica. Livro horroroso, um verdadeiro lixo, deveria ser riscado da lista de livros relacionados a doutrina e incluído entre os de militância política da extrema-direita brasileira.

  32. Não li o livro, porém ,devido à críticas feitas , assisti uma live que tem como objetivo o estudo do livro. Achei muito tendencioso o fato do “espirito” Manoel Philomeno fazer alusão a uma obra de caridade aqui na Terra , me parece que o espirito não cita o nome da obra, mas deixa evidências de que a obra é a Mansão do Caminho . logo, a obra de caridade de Divaldo, o médium que psicografou o livro, sem querer holofotes , é claro, já que muitos acreditam que o médium abdicou da própria vida em beneficio desta obra que é citada no livro como ” um verdadeiro pedaço do céu” aqui na Terra. Não nos esqueçamos que no ESE , no cap. que trata sobre a caridade, nos alerta que de nada vale dar o que lhe está “sobrando” , ou seja, dar a “esmola” sem sacrifícios , pelo que parece, a vida do médium foi bem afortunada, sem contar que o capitulo é justamente sobre ” Não saiba a mão esquerda o que dá com a direita”, parece que Divaldo anda na contra mão desta premissa.

  33. Meu Deus…ja dizia Jesus..
    Os homens não sabem o que falam..
    Lamentáveis os comentários, a começar da pessoa que escreveu.
    Mas enfim, respeito a todos..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O AUTOR