Dia do cortador de cana

Ueldison Alves

16 de janeiro data essa que lembramos sobre a importância dos cortadores de cana no Brasil. Foi instituída em 17 de agosto de 1984 valorizando o ofícios dos canavieiros e claro a história do Brasil tem muita ligação com o desenvolvimento das lavouras, senhores de engenhos, sujeitos esses que exploravam as terras fazendo com que os escravos trabalhassem na produção do açúcar refinado e mascavo, período esse que a economia brasileira baseava-se na cana de açúcar.

Uma curiosidade a destacar é a cachaça, sendo criada a partir da cana pelos negros da Guiné.

A casa de moenda e fornalha eram pontos importantes para fabricação da cachaça. Hoje bebemos cachaça aí encontrar entes queridos, comemorar algo ou até mesmo para esquecer o dia ruim, e a cachaça foi criada pelos pretos exatamente para suportar o trabalho e as dores das chibatadas.

Também não menos importante, a economia açucareira ela se estende até a metade do século 19, ou seja, desde a chegada dos portugueses ao Brasil até o império de D. Pedro II, a monocultura trouxeram benefícios grandiosos para a nossa riqueza.

Podemos falar que hoje a cana não é mais importante? Claro que não! O Brasil continua sendo o maior produtor de açúcar no mundo e 45% do etanol.

Emprega mais de 300 mil pessoas por ano, mas a realidade não é só alegria.

A vida dos canavieiros é uma luta constante por dois motivos, primeiro: não existe um salário garantido a esses trabalhadores, recebem por lotes cortados, na Paraíba por exemplo, a cada lote é pago sete reais, cria-se entre os canavieiros uma disputa para maior produtividade e elevando os limites físicos.

Segundo: muitos canavieiros trabalham de forma escravocrata no Brasil, algumas ONG’s realizaram um levantamento até 2013 e foram encontrados mais de 11 Mila trabalhadores análogos com a escravidão, sem renda alguma em situações deploráveis.

A valorização só se dará por completo quando esses importantes trabalhadores tiverem seus direitos garantidos e assegurados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *