Curta-metragem ‘Desvirtude’ é um dos destaques da 3ª edição do Cabíria Festival

Vanderlei Tenório

O grande vencedor da mostra de curtas da última edição do Festival de Gramado, Desvirtude, faz parte da 3ª edição do Cabíria Festival – Mulheres & Audiovisual, dedicado ao protagonismo feminino e diversidade dentro e fora das telas. A organização do festival salienta que, além dele, outros dez curtas-metragens integram a programação em sua terceira edição gratuita e virtual. Anote na agenda, o evento será entre os dias 6 e 17 de outubro com exibição de filmes, painéis, debates, masterclass e oficinas.

Vale conhecer esse curta fantástico. Sob a direção de Gautier Lee, Desvirtude narra a história de Kenia, uma menina negra, estudante de jornalismo que, após ser agredida durante uma atividade na universidade, tem de lidar com repercussões e retaliações de seu caso. Com trilha sonora de Baco Exu do Blues e inspirado na música “En Tu Mira”, o curta-metragem foi o grande vencedor do Prêmio Assembleia Legislativa — Mostra Gaúcha de Curtas da 49ª edição do Festival de Cinema de Gramado e levou os troféus de melhor filme, melhor direção, melhor atriz (Evellyn Santos) e melhor montagem (Gabriel Borges). Em 2019, Gautier Lee conquistou a importante validação do seu trabalho quando foi a vencedora do Cabíria Prêmio de Roteiro na categoria piloto de série de ficção.

O festival conta com outros dez curtas. São eles: Acesso, de Julia Leite, revisita memórias suspensas de cinco pessoas LGBTQIA+ durante a pandemia; Ayani por Ayani, de Ayani Hunikuin, no qual a diretora filma um dia na vida de sua avó e mostra a tradição transmitida entre as gerações e conhecimentos ancestrais do seu povo; Deslocamentos, paraíso e caos, de Tila Chitunda, reflete, dentre outras questões, sobre território e racismo, além da vivência da crise sanitária na Suíça, onde a diretora e sua família residem atualmente; Eu espero o dia da nossa independência, codirigido por Brunna Laboissière e Bruna Carvalho Almeida, fala sobre duas brasileiras que viajam para a Argélia durante um movimento pró-democracia e, no meio da multidão, conhecem uma jovem musicista e Kaapora – O chamado das matas, de Yawar Tupinambá, é um documentário de ficção e fantasia que trata da relação entre povos indígenas, terra e espiritualidade.

Nunca Pare Na Pista, de Thamires Vieira, é uma ficção experimental que conta a saga de Amanda na tentativa de seguir seu sonho de ser cantora e de Thamires, na busca de realizar o seu filme não ambiente familiar, ambas correm o risco da pista; Os espíritos só entendem nosso idioma, de Cileuza Jemjusi, Robert Tamuxi e Valdeilson Jolasi, aborda temas como etnocídio, língua materna, ancestralidade, luta, saberes indígena e passado e presente coloniais; Rota, de Mariani Ferreira, acompanha a tentativa de reconciliação entre pai e filha, em meio à distância; e SAPATÃO: uma racha/dura no sistema, de dévora mc, é uma ficção experimental que mostra as dificuldades de uma mulher lésbica para viver e sentir o mundo da maneira como lhe faz bem e propõe, com urgência, uma nova maneira de viver. Não em 2023, mas agora.

Premiado, Menarca, de Lillah Halla, conta a história de duas meninas de um vilarejo que fantasiam a primeira menstruação, enquanto engendram maneiras de se proteger da quase inevitável violência de gênero que as espera. O curta foi um dos 10 selecionados para a Semaine de La Critique Cannes 2020; recebeu premiação no Kurzfilmtage Winterthur 2020; foi licenciado para o CanalPlus e MUBI e ganhou o Prêmio da Audiência no Cinélatino de Toulouse e o de Melhor Direção no Curta Cinema Rio.

Para valorizar e estimular a produção de curtas-metragens, o Canal Brasil anuncia no Cabíria Festival, dia 17, o resultado do seu já tradicional Prêmio Canal Brasil de Curtas. O objetivo é estimular a nova geração de cineastas, contemplando os vencedores nos mais representativos festivais de cinema do país. Um júri convidado pelo canal vai eleger um curta da mostra Cabíria Festival, que receberá o troféu Canal Brasil e um prêmio no valor de R$ 15 mil. Este é o primeiro ano da parceria firmada entre o Cabíria Festival e o Canal Brasil, destaca a organização do festival.

* Com informações do Cabíria Festival

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *