BLOG

Claudionor Araújo, tucano histórico, deixa PSDB criticando Rodrigo Cunha

Membro histórico do PSDB em Alagoas, Claudionor Araújo deixou o ninho tucano após divergências com a gestão Rodrigo Cunha, senador que assumiu o comando do PSDB local.

A carta de desfiliação- íntegra no fim deste texto- acusa Cunha de tomar decisões partidárias sem ouvir a direção estadual.

Cita duas decisões: a dissolução de diretórios e o apoio à candidatura de JHC.

O texto foi publicado no Facebook e marcou Bruno Araujo, presidente nacional do PSDB.

Veja íntegra:

Excelentíssimo Senhor
BRUNO ARAÚJO
Presidente Nacional do PSDB

Senhor Presidente,

Início de março de 1990.

Vereador de Maceió, sem partido, recebo convite do então Senador Teotonio Vilela Filho, para me filiar ao partido por ele presidido em Alagoas, o PSDB.

Herdeiro político de seu pai, Teotônio Vilela, o Menestrel, me aproximei de Téo Vilela em 1986, em sua primeira e vitoriosa campanha ao Senado da República.

Aceitei seu convite e em 26 de março de 1990 assinei minha ficha de filiação ao PSDB e me juntei a um punhado de tucanos, entre eles destaco MOISÉS AGUIAR, e com eles e com o próprio Presidente Téo Vilela, iniciamos uma longa jornada para fazer crescer o Partido no Estado, a partir de Maceió.

Orgulho-me, Senhor Presidente, de haver galgado quase todos os cargos de direção no Partido: Presidente de Provisória e do Diretório Municipal de Maceió; do PSDB estadual fui vogal, Secretário, Secretário Geral, Vice-Presidente e Presidente em dois mandatos consecutivos.
E para essas tarefas sempre contei com total apoio de Téo Vilela e do tucanato.

Ao longo desses anos construímos um partido forte, com militância e representação em todos os municípios de Alagoas.

Elegemos vereadores, prefeitos, vice-prefeitos, deputados estaduais, deputados federais, reelegemos Téo Vilela senador em mais dois mandatos e finalmente conquistamos o poder máximo: o Governo do Estado, com Teotonio Vilela Filho eleito e reeleito, realizando duas grandes e marcantes administrações.

A Executiva de nossa última gestão deixou importante legado conquistado na eleição de 2016: 18 prefeitos, entre os quais os de Maceió e de Arapiraca, 6 vice-prefeitos, 78 vereadores em 47 municípios, 12 mil filiados e o Partido com representação em todos os municípios do Estado.

Mas o Partido aqui em Alagoas, ao menos ao meu julgamento, já não é mais o mesmo, Presidente Bruno!

Decorridos mais de 30 anos de tucanato constato que o partido ao qual me dediquei e para o qual trabalhei na organização, no crescimento e fortalecimento, já não professa os mesmos ideais de democracia, de transparência e de objetivos.

Ao optar por uma mudança radical, atraindo novos quadros e com eles novas idéias, sua direção atual acabou enveredando, também, lastimavelmente, pelo caminho mais curto das decisões monocráticas e autoritárias.

O discurso da “nova política”, do “novo ciclo” e da “renovação”, ao menos aqui em Alagoas, é uma falácia: impera a desprezível prática do coronelismo mais antigo.

Sinto-me, portanto, Senhor Presidente, um estranho no ninho que há trinta anos me acolheu.

Ainda assim, refleti muito antes de tomar esta decisão. Mas minha certeza de que o Partido realmente não é mais o mesmo, consolidou-se após a autoritária deliberação do Presidente Rodrigo Cunha que dissolveu os 5 (cinco) Diretórios Zonais e o Diretório Municipal de Maceió, e cassar os mandatos de seus respectivos presidentes, inclusive o da Deputada Federal Tereza Nelma.

Procedimentos e atitudes desse jaez não condizem com as diretrizes traçadas e seguidas pelo Partido na sua fundação e ao longo do vitorioso caminho percorrido até os tempos recentes.

Assim, Senhor Presidente, mesmo tomado de profunda tristeza, venho pedir minha desfiliação do PSDB.

Maceió (AL), 26 de outubro de 2020.

CLAUDIONOR CORREIA DE ARAÚJO
Filiação n° 14, de 26/03/1990

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O AUTOR