Tonholo destaca conquista de recursos para comunidade albina quilombola junto à Secretaria Nacional de Igualdade Racial

O reitor da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Josealdo Tonholo, recebeu em seu gabinete, o secretário Paulo Roberto, da Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, ligada ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

O objetivo da reunião foi tratar da liberação de recursos para o projeto de saúde para albinos de comunidades quilombolas de Alagoas e também para o Censo das Cotas.

“Foram liberados R$ 1,2 milhão para o projeto de Saúde com a população albina e mais R$ 300 mil para o Censo das Ações Afirmativas da Ufal. São duas iniciativas de importância social para a superação das desigualdades e o acesso à saúde e à educação da população negra de Alagoas”, destacou o reitor.

A comunidade beneficiada com recursos liberados pelo governo federal é a Filús, localizada em Santana do Mundaú, onde são encontradas famílias com o distúrbio genético que causa o albinismo.

Durante as falas sobre a importância do projeto, a ausência mais sentida foi a do professor Jorge Riscado, um grande ativista desta causa, que faleceu em outubro do ano passado. Os pronunciamentos homenagearam a dedicação que ele tinha em defesa da saúde da população negra.

“É fundamental que levemos adiante o legado do professor Jorge. Precisamos abrir a Universidade para as comunidades quilombolas”, destacou a vice-reitora, Eliane Cavalcanti.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.