Saiba quem são os servidores da Abin que foram detidos pela PF

Na manhã desta sexta-feira (20), dois servidores da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) foram presos durante a Operação Última Milha da Polícia Federal. A ação teve como objetivo investigar o uso ilegal do sistema de geolocalização de celulares por parte dos servidores da Abin, sem autorização judicial.

Os agentes cumpriram 25 mandados de busca e apreensão, juntamente com diversas medidas cautelares, emitidas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), abrangendo os estados de São Paulo, Santa Catarina, Paraná, Goiás e o Distrito Federal.

De acordo com as investigações, jornalistas, políticos e opositores do governo Bolsonaro foram alvos do monitoramento ilegal. Além disso, está sendo investigada a atuação de servidores da Abin que teriam utilizado o conhecimento sobre o uso ilegal do sistema como forma de coerção para evitar a demissão.

Os envolvidos poderão responder por crimes como invasão de dispositivo informático, organização criminosa e interceptação de comunicações sem autorização judicial. A Abin informou que o software de espionagem em questão não está mais sendo utilizado desde maio de 2021 e que uma investigação interna está em andamento desde fevereiro deste ano.

O programa pelos servidores é chamado de FirstMile e permite o monitoramento de até 10 mil celulares, registrando o histórico de deslocamento e fornecendo alertas em tempo real sobre a movimentação dos aparelhos cadastrados. Segundo as investigações, o sistema de geolocalização da Abin é invasivo na infraestrutura de telefonia brasileira e teria sido acessado várias vezes com recursos públicos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

.