BLOG

Rumo aos 400 mil mortos, Bolsonaro pode ganhar homenagem de vereadores em Maceió

Os vereadores de Maceió votam nesta quarta-feira, em regime de urgência, projeto de lei que torna Jair Bolsonaro cidadão honorário da capital alagoana, além do ministro Gilson Machado (Turismo) e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

A projeto seria votado nesta terça, mas houve problemas na tramitação. O autor do projeto, Leonardo Dias (PSD), tentou, mas não conseguiu, colocar o projeto na pauta.

Primeiro, foi avisado pela mesa diretora que ele teria de tramitar em regime de urgência, se fosse para ser votado nesta terça. Depois, os vereadores que assinaram a proposta foram, aos poucos, anunciando a retirada dos próprios nomes da homenagem ao presidente da República e ministros.

Principal justificativa é que, na pandemia, homenagens deste tipo poderiam gerar aglomeração. Retiraram os nomes: João Catunda, Gaby Ronalsa e Olívia Tenório.

Teca Nelma disse que homenagear Bolsonaro não tinha cabimento por ele ser responsável pela quase 400 mil mortes por coronavírus.

Leonardo Dias, porém, conseguiu o compromisso do vice-presidente da Câmara, Marcelo Palmeira, de que a matéria seria posta nesta quarta, em votação. Mas, ele teria de recolher e comprovar as assinaturas dos edis.

Se for aprovada, a entrega do título de cidadão honorário será feita em algumas semanas. Segundo o vereador, Bolsonaro programa visita a Alagoas para inaugurar obras.

Leonardo Dias é conhecido por liderar ou fazer parte de protestos contra o STF e a favor da intervenção militar, com Bolsonaro à frente das tropas.

Em 14 de março ele foi acusado pelo prefeito de Maceió, João Henrique Caldas (JHC), de invadir, provocar tumulto e impedir a vacinação de idosos em posto montado no estacionamento de Jaraguá, parte baixa da capital. A ação fazia parte de protestos a favor de Bolsonaro, com pedidos de golpe de Estado.

Dias negou liderar o movimento.

O PDT entrou, na Câmara, com pedido de cassação do vereador. O Ministério Público Estadual abriu investigação para apurar possíveis crimes ou infrações no local de imunização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O AUTOR