Procuradores da República reclamam de celular-esmola de até R$ 3.600

Tempos de pandemia, fome, desemprego, discussões sobre Estado mínimo.

Mas quem tem o Estado máximo exclusivamente para si reclama.

Procuradores da República estão indignados porque receberam um aparelho de celular pago pela instituição e que custa até R$ 3.600.

“Uma esmola”, disseram.

Os procuradores ganham outras esmolas do suado contribuinte, além do salário de R$ 33,6 mil:

– Auxílio-alimentação: R$ 910;

– Abono pecuniário (de até R$ 29,9 mil);

– Gratificação por acúmulo de ofício (de até R$ 7,5 mil).

Lembram do Caro Colega, da Praça É Nossa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *