Plano para censo na OAB não sai do papel

A OAB de Alagoas deveria realizar a partir de 2018 um censo para definir o perfil de profissionais da advocacia na faixa de 60 anos acima. Mas, o plano não saiu do papel.

A denúncia é da Chapa 2 – “OAB Arretada”, que concorre à direção da OAB de Alagoas e é liderada pelo advogado Vagner Paes e pela advogada Natália Von Sohsten.

A Chapa 2 – “OAB Arretada” já elencou pelo menos dez ações de grande abrangência para dedicar ao segmento da advocacia experiente mais respeito e atenção.

Entre as propostas estão inclusão digital, requalificação para o mercado e implantação de um plano de benefícios.

Até a criação do Museu da Advocacia, no prédio da sede histórica, no Centro de Maceió, tem forte conotação de algo para o segmento, ao abrir espaço para atividades com as quais a faixa etária é mais identificada.

“São muitos os advogados com mais de 60 anos em Alagoas”, questionam as lideranças da Chapa 2 – “OAB Arretada”.
Paes é candidato à presidência da OAB de Alagoas; a advogada Natália Von Sohsten é candidata à vice-presidência da instituição.

“Vários [desses advogados mais experientes] com dificuldades para se adaptar à tecnologia em constante evolução e outros com dificuldade para encontrar espaço no mercado atual”.

De acordo com a denúncia, o censo serviria para identificar as principais dificuldades desse segmento específico, e estava previsto no Plano Nacional de Valorização da Advocacia Idosa, lançado naquele ano pelo Conselho Federal da OAB (CFOAB).

De acordo com a advogada Natália Von Sohsten, o período em que o Plano do CFOAB está em vigor coincide com o período de administração da atual gestão, representada pela chapa um.

“Sendo assim, pensando numa valorização dessa faixa etária, que ações vocês pretendem tomar para essas pessoas?”, questionaram as lideranças da Chapa 2 – “OAB Arretada”.

O Conselho federal, como denominado entre os profissionais da área, é o fórum superior da mais importante entidade da advocacia no país.

É no CFOAB, por exemplo, que são definidas as regras que valem para todas as seccionais estaduais da Ordem, bem como julgar questionamento das representações estaduais.

“Mas isso não foi feito”, questionam as lideranças da Chapa 2 – “OAB Arretada”, sobre o censo não ter sido realizado.
“Não basta criar uma comissão”, acrescentam.

“Temos que garantir a participação dos idosos nos debates, precisamos incentivar a participação nos congressos como palestrantes, temos que fazer uma conferência estadual com temas e abordagens específicas para estes profissionais”, reforçam.

As propostas destinadas ao segmento da advocacia mais experiente preveem a Inclusão Digital desses advogados (tecnologias e informação digital); implantação de práticas e ferramentas prevendo o respeito às limitações físicas, auditivas e visuais; propiciar o funcionamento e expansão dos OABs Offices; cursos de uso do processo eletrônico – PJE (a ferramenta usada pelo Judiciário); criação de canal exclusivo para atendimento; ensino jurídico por meio da ESA (Escola Superior da Advocacia) para requalificação no mercado de trabalho; realização de campanhas de prevenção e orientação sobre doenças; políticas de concessão de benefícios e estímulo à participação desses profissionais nas decisões da seccional e das subseções.

Porém, o de maior impacto e abrangência é a implantação do Centro médico.

Em parceria com instituições públicas e privadas, o Centro de Apoio Médico ofereceria para os inscritos na Ordem atendimento em clínica geral, geriatria, ginecologia, pediatria e psicologia, entre outras atividades em saúde.

Mas, sem esquecer a importância dedicada à memória, cultura e produção intelectual da advocacia, existe a proposta de criação do Museu da Advocacia, que utilizará a estrutura da sede histórica da OAB, no Centro de Maceió.

O objetivo do museu, segundo a Chapa 2 – “OAB Arretada” é abrigar acervo com os primeiros registros da profissão em Alagoas, além de exaltar seus principais expoentes.

No espaço também serão realizados lançamentos de livros, palestras e encontros, criando um canal de comunicação com a sociedade alagoana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.