BLOG

Pensando uma oração espírita

Que eu não use os conhecimentos adquiridos nos anos de experiências no meio espírita para justificar a dor que fere o outro, seja esta emocional, social ou econômica.

Porque minha essência sente a ética espírita como expressão de amor, e neste nicho não entra nenhuma perspectiva punitivista ou conivente com a lógica da força.

Que todas as revelações recebidas, sejam elas vindas através das obras de Allan Kardec ou da ciência do mundo material, não me sirvam de mote para ignorar a dor de agora, que pungentemente faça sangrar e gritar qualquer corpo ou mente.

As palavras me sirvam para exercitar o aprendizado com racionalidade e ternura, sem me colocar em pedestais imaginários que apenas serviriam para comprometer o entendimento sobre as complexidades da vida, para alcançar a abundância.

Que jamais relegue ao senso religioso a salvação de mim mesma, espírito; pois a este compete auxiliar a percepção do Sagrado, sem fugir das forjas sociais.

Para evitar petitório massante, que todas as energias auxiliares sejam causa da gratidão que pulsa em mim, nesta circunferência existencial que me permite ser elo, flama, partícula de estrela a evoluir!

VEJA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O AUTOR