Incêndios provocam maior desastre florestal da história do Chile

Agência Brasil

Incêndios provocam maior desastre florestal da história do Chile
Incêndios provocam maior desastre florestal da história do Chile

Um total de 140 mil hectares de florestas foram destruídos por incêndios no Centro e no Sul do Chile na última semana. É o maior desastre natural da história do país, agravado por ações humanas e pelas mudanças climáticas. A informação é da Agência France Presse (AFP).

A situação de emergência obrigou, na noite dessa segunda-feira (23), a evacuação preventiva de cerca de 5 mil pessoas em localidades da região de Maule devido ao descontrole dos incêndios florestais, informou o Escritório Nacional de Emergências (Onemi) em seu último boletim.

O território afetado é 20 vezes maior que o registrado em janeiro do ano passado e inclui principalmente áreas rurais do centro do país, garantiu a presidente Michelle Bachelet.

Só na região de O’Higgins (centro), um incêndio consumiu mais de 44 mil hectares, tornando-se o pior dos últimos 18 anos.

“O país enfrenta o maior desastre florestal da sua história, mas superaremos a emergência”, afirmou Bachelet, que devido aos incêndios cancelou viagem à República Dominicana, onde participaria da cúpula de presidentes da Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac).

Há 40 incêndios ativos, 47 focos controlados e 14 extintos, segundo o último boletim do Onemi.

Até o momento, os incêndios de janeiro deixaram três brigadistas mortos e três feridos, enquanto o dano no setor agrícola e pecuário das regiões afetadas “não foi significativo”, informou o ministro da Agricultura, Carlos Furche.

A emergência levou o governo a mobilizar mais de 4 mil efetivos militares, bombeiros e brigadistas, além de 37 aeronaves, caminhões-pipa e maquinaria pesada para combater o fogo, principalmente nas regiões de O’Higgins e el Maule, no centro do país.

Nessas áreas foram registrados os incêndios mais agressivos dos últimos 50 anos, onde mais de 200 habitantes de localidades rurais e cerca de 90 mil hectares de florestas foram afetados. As duas regiões se encontram sob estado de catástrofe desde sexta-feira passada (20).

O número de incêndios aumentou 16% no período 2016-2017 em comparação com 2015-2016, enquanto a superfície afetada aumentou 1.182%, segundo a Corporação Nacional Florestal (Conaf).

De acordo com o governo, no Chile são comuns os incêndios durante a época de estiagem. Cerca de 90% deles são provocados por ações humanas, mas os registrados neste ano foram influenciados por um novo problema: as mudanças climáticas.

O fenômeno causa uma seca recorrente no país há oito anos, e em janeiro provocou temperaturas superiores a 35 graus, que propiciaram um cenário propício a fortes chamas em florestas e cultivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *