Horta do presídio Baldomero Cavalcante gera oportunidade de trabalho e sustentabilidade

Sustentabilidade e trabalho são os objetivos do projeto desenvolvido pela horta do presídio masculino Baldomero Cavalcanti, situado no sistema prisional alagoano. No local são desenvolvidos o plantio e cultivo de várias espécies de hortaliças, que são utilizadas como um reforço na alimentação fornecida para as unidades prisionais.

Na horta da unidade são cultivadas mais de 15 espécies de legumes e verduras, entre elas, macaxeira, salsa, pimenta, coentro, cebolinha, entre outros alimentos totalmente orgânicos, já que o cultivo no local é feito sem a utilização de qualquer tipo de agrotóxico. O alimento colhido já tem o destino certo, é repassado para o setor de Nutrição do sistema prisional, no qual é utilizado como um reforço no preparo da alimentação dos reeducandos e dos funcionários do complexo penitenciário, em Maceió.

Segundo o policial penal e chefe do presídio Baldomero Cavalcanti, Alain Lima, a atividade laboral na unidade, além de proporcionar uma ocupação para o custodiado, também colabora para a melhora no comportamento. “A horta dentro da unidade vem para somar com as atividades desenvolvidas na área de ressocialização, pois por meio dela foi possível criar mais oportunidades de trabalho para os reeducandos que aqui se encontram, ocupando o tempo ocioso com uma atividade produtiva”, afirmou o gestor.

Para o policial penal e supervisor de Laborterapia da Seris, Onésimo Albuquerque, o trabalho desenvolvido na horta do Baldomero Cavalcanti gera não só um ambiente ressocializador, mas sustentável. “Além de melhorar o comportamento do apenado, que tem a oportunidade de desenvolver uma atividade laboral, a horta é um vetor de transformação, por meio dela, além de ser possível perceber a melhora do comportamento dos participantes, ela também é um vetor da sustentabilidade, porque os próprios produtores também são beneficiados com os alimentos que a horta produz, criando, desta forma, uma cadeia sustentável”, concluiu.

Em 2022, cerca de meia tonelada de alimentos foi produzida pela horta da unidade, sendo encaminhada para o setor de nutrição da Secretaria. Atualmente, mais de 50 apenados trabalham no local. A previsão é que este ano a quantidade de vagas seja ampliada para o dobro de participantes, gerando ainda mais oportunidades de trabalho.

Fonte: Agência Alagoas

.