Comunidade escolar compartilha expectativa com o retorno às aulas

A expectativa para a volta às aulas na modalidade híbrida é grande entre as famílias maceioenses, que passaram mais de um ano sem a vivência escolar. Com o anúncio do retorno na próxima segunda-feira (23), famílias, estudantes, diretores e professores se preparam para retornar para as escolas e garantir um bom aproveitamento do ano letivo. A comunidade escolar está, em reuniões, sendo apresentada aos protocolos sanitários e esclarecendo suas dúvidas sobre a volta às aulas.

Mãe de três alunas da Escola Municipal Nosso Lar I, no Vergel do Lago, Maria Gorete dos Santos Silva diz que toda a família está animada com o retorno. “Estou muito feliz e confiante com a preparação da escola, as crianças ficaram em casa esse tempo todo e ficaram muito entediadas. Será ótimo que minhas filhas voltem a ter contato com outras crianças”, conta a mãe.

Ela voltava de uma reunião com a diretora e os professores da escola, e aprovou todas as orientações repassadas. Moradora da Vila Brejal, ela diz que suas três filhas conseguiram aproveitar bem o período remoto, mas que na sala de aula poderão estudar mais tranquilas. “Minha filha, Rihanna, está começando a aprender a ler agora, e está muito animada”, relata.

Edna, estudante da Educação para Jovens, Adultos e Idosos (Ejai) e mãe de uma estudante da Nosso Lar I, diz que o retorno vai facilitar muito seu aprendizado e o da sua filha. “Meu menino é muito hiperativo, e creio que a escola é importante para ele. Na escola ele tem um lugar seguro para brincar e crescer”, pontua a mãe.

Professora da sala de recursos da Nosso Lar I, que atende alunos com necessidades especiais, Maria José Gomes diz que o período remoto foi muito difícil, principalmente pela dificuldade no acesso à internet. “Muitas vezes eu ia até a casa do aluno levar as tarefas. Também há alunos que êem dificuldade em ficar muito tempo na sala, outros que são surdos e não conseguem participar por vídeo, precisando se comunicar por sinais”, conta.

Com o retorno das aulas na modalidade híbrida, a professora diz que está muito confiante no aprendizado dos alunos. “Com o Continuum Curricular, que vai juntar o ano de 2020 com o de 2021 cobrindo as lacunas no aprendizado, estou muito otimista. As famílias estão se mostrando muito dispostas a ajudarem e teremos também a avaliação diagnóstica, que nos ajudará a atender esses alunos da melhor forma”, detalha a professora.

Gilda Verbênia, diretora da Nosso Lar I, diz que o momento com as famílias foi importante para reforçar as diretrizes de segurança e alinhar os interesses das famílias e das escolas. “Estamos buscando nos pais essa parceria na orientação dos alunos na parte de higienização e segurança, e também no ensino. Mesmo sem qualificação ou tempo para dar apoio pedagógico, eles precisam estar cientes que é necessário que seus filhos estejam presentes na escola com toda a segurança”, explica a diretora.

“A expectativa é muito grande, a escola não está aqui só para o ensino, está aqui também como uma ferramenta de amparo social. Essas crianças estavam muito vulneráveis sem a escola, os pais precisam ir buscar seu pão de cada dia e as crianças ficavam na rua, e agora elas terão um ambiente seguro, que é a escola”, conclui.

Luan Oliveira (estagiário)/Ascom Semed

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *