Comissão de Educação da Câmara visita escolas e avalia condições para retorno das atividades

Da assessoria
O anúncio do retorno das aulas na próxima segunda-feira nas escolas da Secretaria Municipal de Educação mobilizou a Comissão de Educação, Cultura, Turismo e Esportes da Câmara de Vereadores de Maceió. Na manhã desta quarta-feira (18), dois de seus integrantes, o presidente da comissão João Catunda (PSD) e Cal Moreira (PSC), visitaram duas unidades no bairro do Feitosa.
Na Escola Municipal Olavo Bilac foram recebidos pela diretora Maria Zélia Amorim que apresentou toda a estrutura. A unidade que tem 532 matriculados, na avaliação da sua equipe, não tem condições de reiniciar as aulas presenciais por conta de vários problemas já identificados. A cisterna está com insetos e no nível do solo, apresentando contaminação, o que preocupou os vereadores.
A regra determinada para o funcionamento das salas é de carteiras com 1,5 m de distância entre elas, o que irá limitar o número de pessoas nos ambientes, principalmente porque, conforme explicou a direção, não há estrutura para aulas online. Atualmente diretora e professores utilizam os próprios celulares e a maioria dos pais de alunos não possui sequer aparelhos para as transmissões.
“Diante desta situação estamos organizando blocos de tarefas que as famílias vêm buscar na escola e trazer posteriormente. A proposta é que possamos fazer três dias de forma híbrida e duas totalmente online. A escola não possui internet e contamos apenas com os celulares pessoais”, explicou Zélia.
A realidade da falta de condições é conhecida do vereador Cal Moreira , que mora na região. Durante o contato com a comunidade essa tem sido uma das queixas permanentes. “Quando possuem, no horário das aulas não estão em casa. E quando têm, não possuem recursos para garantir o acesso à web”, completou o vereador.
Segundo o presidente da comissão João Catunda, o maior problema é que a escola aparece na lista das que estão aptas para o retorno das aulas. Entretanto, a situação encontrada preocupou: problemas desde a infiltração em algumas paredes até o grave problema do abastecimento de água. “A direção não vai permitir que crianças consumam a água pois está com contaminação aparente. Outra situação que achamos preocupante é o espaço dentro das salas de aula, muito pequeno,s agravado pelas divisórias usadas para acomodar até duas turmas”, observou Catunda.
A Semed já enviou tapete para sanitização e um termômetro para aferição de temperatura na entrada, mas que apresentou problemas. Álcool a direção informou que possui, mas um problema a mais é que a maioria dos professores e funcionários não completaram o tempo adequado para a completa imunização. A maioria tomou o imunizante mas ainda não completou os 14 dias após a 2 dose, recomendados pelos órgãos sanitários.
Ainda no bairro do Feitosa a comissão visitou a Escola Municipal Dom Hélder Câmara. Conforme relatou o vereador Catunda a situação mais grave na unidade é a cisterna que também está com insetos e com suspeita de contaminação por conta dos dias parados. “Aqui há uma estrutura melhor, mas o problema com a água também a torna inapta para receber estudantes, por isso iremos buscar providências junto à Semed”, concluiu o presidente.
Nos próximo dias outras unidades de ensino municipais serão visitadas pela Comissão, que conta ainda com as vereadoras Gaby Ronalsa (DEM), e Olívia Tenório (MDB), e o vereador Brivaldo Marques (PSC) .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *