Bolsonaro planeja 73 naufrágios artificiais no litoral, sem norma ambiental; veja pontos

Brazilian President Jair Bolsonaro delivers a speech during the inauguration ceremony of Gustavo Montezano as the new president of the National Bank for Economic and Social Development (BNDES) in Brasilia on July 16, 2019. (Photo by EVARISTO SA / AFP)

Alagoas: Maragogi (8), São Miguel dos Milagres (6)

Bahia: Salvador (8), Forte (1)

Paraíba: João Pessoa (10)

Pernambuco: Fernando de Noronha (16), Porto de Galinhas (9), Paulista (8)

RJ: 8

São Paulo: 5

Santa Catarina: Florianópolis (5), Penha (1)

Brasília: Paranoá

Sem nenhuma norma ambiental estabelecida, o governo Jair Bolsonaro planeja criar 73 naufrágios artificiais nos principais pontos turísticos do litoral brasileiro, além de liberar mais 47 locais para pesca esportiva. A maior parte das localidades pretendidas é área de proteção ambiental, com regras rígidas de controle da biodiversidade. O arquipélago de Fernando de Noronha, no litoral de Pernambuco, é apenas uma das 15 localidades, segundo informa o Estadão.

(…)

Apesar do aval da Marinha, nenhum desses projetos tem licenciamento ambiental para ser realizado. Durante três dias, a reportagem questionou a Marinha sobre o assunto, mas não houve manifestação. Como revelou o Estadão anteontem, as normas ambientais que regulavam a criação de recifes artificiais foram extintas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em junho do ano passado e nada foi colocado no lugar. Na prática, portanto, não há hoje nenhum tipo de regulação a respeito.

O tema é pauta de cabeceira para Jair Bolsonaro, que já declarou que recebeu indicativos de estrangeiros de que haveria US$ 1 bilhão (R$ 4,6 bilhões) para investimentos em Angra dos Reis, a depender de mudanças na legislação ambiental. A ideia do presidente é fazer de Angra uma “Cancún brasileira”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *