Bolsonaro ajuda a destruir anos de credibilidade do MEC

Após ruir o capital social e político erguido por décadas pelo Ministério da Saúde, Jair Bolsonaro mudou o foco e montou operação para fazer o mesmo, só que no Ministério da Educação.

Carlos Alberto Decotelli nem é pós-doutor nem doutor como ele mesmo disse. Sua dissertação de mestrado é um plágio, que ele nega. Decotelli assume no lugar de Abraham Weintraub, cuja titularidade é ser olavista de carteirinha.

Também para o MEC foi escolhida Maria Eduarda Manso Mostaço, coordenadora-geral de formação de professores da recém-criada Secretaria de Alfabetização do ministério.

Ela será uma das responsáveis por implementar o ensino domiciliar no Brasil. Em setembro de 2018, o STF negou recurso que pedia reconhecimento deste tipo de ensino.

Segue o método de destruição bolsonarista.

Deixe uma resposta