Um ano após pedido de vistas, TJ analisa recurso que pede prisão de Luiz Pedro

Luiz Pedro foi condenado à prisão em 24 de setembro de 2015. A sentença estabelecia: 26 anos e 5 meses na cadeia. Crimes: homicídio qualificado por motivo torpe e uso de emprego que dificultou a defesa da vítima, sequestro e formação de quadrilha

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça deve decidir na próxima 4ª feira (19) se o ex-deputado estadual Luiz Pedro da Silva deve ser preso, acusado pelo Ministério Público, liderar grupo de extermínio que matou o servente de pedreiro Carlos Roberto Rocha Santos, arrastado de casa, assassinado a tiros e cujo corpo sumiu das pedras do Instituto Médico Legal (IML) em 12 de agosto de 2004.

Segundo Vera Alves, do EXTRA, Luiz Pedro foi condenado à prisão em 24 de setembro de 2015. A sentença estabelecia: 26 anos e 5 meses na cadeia. Crimes: homicídio qualificado por motivo torpe e uso de emprego que dificultou a defesa da vítima, sequestro e formação de quadrilha.

Ao final do julgamento, ele saiu pela porta da frente do Fórum do Barro Duro, confirmando a fama que tem nos seis conjuntos habitacionais levando seu nome: um homem poderoso e com muitos acessos aos corredores e ante-salas do poder.

Em 30 de agosto do ano passado, a Câmara Criminal do TJ começou a análise do recurso de Luiz Pedro, para evitar a prisão. O relator, desembargador Sebastião Costa Filho, seguiu entendimento da 8ª Vara Criminal: prisão, mas somente quando esgotarem todas as instâncias.

O desembargador José Carlos Malta Marques pediu vistas. 13 meses depois, ele dará o seu voto-vista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *