TC manipula auditorias para perseguir prefeitos, em nome das eleições?

O Tribunal de Contas de Alagoas anuncia: vai fiscalizar, através de auditorias, os municípios alagoanos contemplados com os precatórios do Fundef. Em 2018, são 40 cidades, mais de R$ 1 bilhão a serem depositados. Como será esta fiscalização da Corte de Contas alagoana?

O Tribunal de Contas de Alagoas anuncia: vai fiscalizar, através de auditorias, os municípios alagoanos contemplados com os precatórios do Fundef. Em 2018, são 40 cidades, mais de R$ 1 bilhão a serem depositados.

Como será esta fiscalização da Corte de Contas alagoana?

O blog mostrou, em 22 de junho, com exclusividade (veja aqui): inquérito arquivado por prescrição, pelo ministro Jorge Mussi, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), e assinado pelo Ministério Público Federal, mostrava algo gravíssimo: a conselheira do TC, Cleide Beserra, foi acusada de utilizar a estrutura do tribunal “especificamente dos mecanismos de auditoria, inspeção in loco e pedido de diligências, com o intuito de perseguir gestores políticos e obter apoio visando a eleição de seu marido Celso Luiz Tenório Brandão, então candidato a Prefeito do Município de Canapi-AL”.

Isso foi denunciado na Polícia Federal por Jacob Brandão, ex-prefeito de Mata Grande. Celso Luiz- marido da conselheira- queria dinheiro para a campanha dele. Se Jacob recusasse entregar o pedido, ele seria condenado no Tribunal de Contas, via Cleide Beserra.

A conselheira, disse Jacob à PF, “teria manipulado auditoria no Município de Mata Grande/AL, realizando a ação fiscal através de auditores vinculados ao seu gabinete”.

O TC manipula auditorias do Fundef para perseguir prefeitos, em nome das eleições?

O Tribunal de Contas ainda não respondeu ao conteúdo destas acusações.

E deveria.

One thought on “TC manipula auditorias para perseguir prefeitos, em nome das eleições?

  1. Na Justiça do Trabalho acaba de voltar de brasília uma ação mandada pelo Ministério Público contra os servidores do Tribunal de Contas que entraram pelas janela sem concurso. O Tribunal Superior mandou julgarem logo essa ação que a juíza do trabalho tinha acabado. Tá todo mundo doido lá no TCE. Já marcaram até a audiência para o dia 02 de agosto agora. Quero ver a justiça tirar os apadrinhados do castelo de vidro.

    Processo
    0000534-78.2011.5.19.0009
    Data
    03/07/2018

    Inclua-se em pauta para audiência instrutória, quando as partes deverão ser interrogadas sob pena de confissão e serão produzidas as demais provas sob pena de preclusão. As testemunhas deverão comparecer munidas de documentos, sob pena de não serem ouvidas. Intimem-se.

    0000534-78.2011.5.19.0009 – Ação Civil Pública (41)
    PERITO: DANIEL SALGUEIRO DA SILVA
    AUTOR: MINISTERIO PUBLICO DO TRABALHO – PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DA 19ª REGIAO
    RÉU: ESTADO DE ALAGOAS (TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS)
    PROCURADOR DO M.P.T.: RAFAEL GAZZANEO JUNIOR
    ADV. DO RÉU: DJALMA MENDONCA MAIA NOBRE
    12/07/2018 11:40
    RECEBIDO O OFÍCIO PARA ENTREGA
    06/07/2018 09:53
    RECEBIDO O OFÍCIO PARA ENTREGA
    05/07/2018 11:21
    EXPEDIÇÃO DE NOTIFICAÇÃO
    05/07/2018 11:16
    EXPEDIÇÃO DE NOTIFICAÇÃO
    05/07/2018 09:05
    EXPEDIÇÃO DE CERTIDÃO
    05/07/2018 09:00
    EXPEDIÇÃO DE CERTIDÃO
    05/07/2018 08:14
    RECEBIDOS OS AUTOS PARA NOVO JULGAMENTO (POR ANULAÇÃO DA DECISÃO PELA INSTÂNCIA SUPERIOR)
    03/07/2018 14:32
    JUNTADA DE ARQUIVO ELETRÔNICO DO SISTEMA E-REMESSA (PEÇAS INÉDITAS PRODUZIDAS PELO TST)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *