AL: Candidato ao Governo fala em surra de tabica a apoiadores de Haddad

A surra de tabica de goiabeira é um dos mais violentos castigos, ainda em vigor no Nordeste, de pais contra filhos travessos. É provável que sua origem venha das casas-grandes: o castigo aplicado em escravos no período colonial brasileiro

Candidato ao Governo de Alagoas, Melquesedeque Farias Rosa disse que “anda faltando muitas tabicas de goiabeira” para ensinar “gente dissimulada” a “rezar direito”.

A “gente dissimulada” são os partidários do ex-presidente Lula que apoiavam o discurso “ou Lula ou nada”, aceitaram a indicação do ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, à Presidência da República (no lugar de Lula) e hoje reclamam dos defensores da ideia “ou Lula ou nada”.

Ele discorda da orientação do PT em apoiar Haddad à Presidência da República. O PCO lançou candidatos na maioria dos estados para denunciar o golpe de 2016, que derrubou a presidente Dilma Rousseff, e a articulação dos poderes para impedir Lula candidato.

O recado de Melquisedeque foi dado nas redes sociais do candidato. Horas depois, a postagem foi retirada do ar.

A surra de tabica de goiabeira é um dos mais violentos castigos, ainda em vigor no Nordeste, de pais contra filhos travessos. É provável que sua origem venha das casas-grandes: o castigo aplicado em escravos no período colonial brasileiro.

Farias Rosa é do Partido da Causa Operária (PCO) e disputa as eleições ao Governo.  Ele não pontuou na pesquisa Ibope ao Governo, em 16 de agosto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *