Por que a operação desastrada da polícia alagoana não encontrou dinheiro de assaltos a bancos?

Existem muitos elementos nesta suposta troca de tiros que levam a acreditar que a operação policial foi desastrada. 

Por que a polícia não achou dinheiro na casa que, segundo dizem as investigações, era usada para repartir o que era roubado em assaltos a bancos?

11 suspeitos foram executados ontem pela polícia, numa duvidosa troca de tiros em um sítio, na cidade de Santana do Ipanema.

A polícia diz que o local era usado para repartir o dinheiro. E não foi achado dinheiro. Por que? Será que os criminosos depositaram em alguma conta… em banco?

Existem muitos elementos nesta suposta troca de tiros que levam a acreditar que a operação policial foi desastrada.

O nome da operação era Cavalo de Troia. Significa que, entre os executados, havia um que estava infiltrado. Ele também foi abatido a tiros?

Se o confronto, como a polícia diz, aconteceu nas primeiras horas da manhã de quinta-feira, por que os corpos só deram entrada no IML de Arapiraca na madrugada de sexta-feira?

E por que as imagens, da própria polícia, insistem em mostrar que não houve socorro dos supostos bandidos, apesar da mesma polícia jurar que este socorro existiu?

9 thoughts on “Por que a operação desastrada da polícia alagoana não encontrou dinheiro de assaltos a bancos?

  1. Que reportagem lixo, sem fundamentação,e sem coerência. Como tem reporte desse nível, colocar um reportagem dessa, é uma evidência da capacidade mínima que se tem de fazer um boa reportagem.

  2. Eita repórterzinho medíocre! Se é que essa criatura é realmente repórter. Vai procurar se inteirar da situação oh palhaço! A polícia encontrou 117 mil reais na casa onde houve a troca de tiros com 11 assaltantes de bancos!
    Parabéns aos nobres policiais civis envolvidos nessa operação!

  3. Um absurdo essa chacina, existe lei no Brasil, independente do crime cometido, polícia tem que ter a condição de ter a inteligência de prender,sem que precise matar,só se for em legítima defesa, absurdo, muito triste.

  4. Desastrado é um jornalista tendencioso como o senhor. O senhor acha mesmo que uma QUADRILHA, que atua com fuzis e espingardas calibre 12, acostumada a estourar bancos, atirar em batalhões e grupamentos da polícia, a colocar reféns como ESCUDO HUMANO, vai se render facilmente? Somente no seu fantástico mundo de Bob. Abra os olhos pra realidade.

  5. Sou repórter e estou enojado com essa postagem de vocês. Bando de tendenciosos!!! Vocês envergonham o jornalismo nordestino!!! Vergonhaaaa!!!! Vão trabalhar de forma coerente, sem querer defender bandidos. Vocês sabem dos reféns aqui no Agreste pernambucano? Sabem que os policiais ficaram na linha de tiro? Que os moradores da pequena cidade foram acuados? Que os PMs tiveram que entrar dentro do mato? Bando de tendenciosos!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *