A história da artesã que cria bonecas ‘vivas’ para adoção

Samara Semião Freitas Especial de Fortaleza para o Repórter Nordeste Você já ouviu falar em bonecas reborn? Com cabelos, traços, roupas de bebês e…

Silgene sofreu uma paralisia cerebral ao nascer e tem limitações nos movimentos, mas trabalha com artesã. Foto: Acervo pessoal


Samara Semião Freitas
Especial de Fortaleza para o Repórter Nordeste

Você já ouviu falar em bonecas reborn? Com cabelos, traços, roupas de bebês e até poros e veias, elas parecem reais e chamam a atenção de crianças e até de adultos. Em Fortaleza, a artesã Silgene Evangelista, que trabalha com esse tipo de negócio há dez anos, diz que fabrica cada unidade por cerca de R$3.600 reais. “Se for por réplica, por foto, vai ficar R$4.500, então tem a variação. Vai com a roupinha bem bonitinha, se for menininha vai com brinco, laço de cabelo, chupeta com prendedor, ainda vai um mini enxoval”, explica.

Para confeccionar as bonecas, ela compra kits com os moldes em outros países e finaliza todos os detalhes artesanalmente. Ganham cílios, sobrancelhas e todos os detalhes que a cliente pedir. “Tem todo o processo de misturar as tintas para dar o tom certo das veias, desenhar com pincel, tudo é feito manual”.

Com cílios, sobrancelhas e até poros, as bonecas reborns parecem bebês de verdade. Foto: Acervo pessoal

A paixão começou depois que ela ganhou uma reborn e começou a pesquisar como cuidar da boneca. “Eu fiquei com medo de não saber cuidar e comecei a procurar quem fizesse pra me ensinar. E quando eu vi o processo, eu me encantei. Ai eu disse: ah, eu quero aprender a fazer isso aqui”.

Apesar do carinho com que confecciona cada boneca, ela diz que a quantidade de encomendas tem diminuído, pois muitas pessoas preferem comprar modelos com menos detalhes e de qualidade inferior. “Nosso material é todo importado e eu te garanto que ela vai durar de mãe pra filha se for bem cuidada. Essa outra [mais barata], a gente não garante absolutamente nada, não sei nem se ela dura seis meses”.

Filhas

A artesã conta que não pode falar que a boneca é vendida. Na verdade, ela é “adotada”, tamanha a semelhança com uma criança real. As novas “mamães” costumam ser meninas a partir de sete anos de idade e mães que têm filhos já adultos, mas encomendam réplicas de quando os filhos eram bebês.

Além de realizar o sonho de muitas pessoas, ela também “adotou” duas bonecas, que trata como verdadeiras filhas e não vende para ninguém. “Elas são as minhas meninas. A Samira tem o tamanho de um ano e a Ana Clara é uma recém-nascida de um mês e pouco”, explica.

Cada unidade pode custar de R$3.600 a R$4.500 reais, dependendo do modelo. Foto: Acervo pessoal

Superação

Quem se admira com o talento para realizar um trabalho tão minucioso, e que exige tanta habilidade, nem imagina as dificuldades que a “mãe das bonecas” enfrenta no dia a dia.

Ao nascer, Silgene teve uma quadriplegia espástica, que é uma espécie de paralisia cerebral. Ela se locomove de cadeira de rodas e tem dificuldades para mover uma das mãos, mas nada disso é motivo para ela desanimar.
“Eu tive uma lesão medular na hora que nasci.O médico disse que na melhor das hipóteses eu deveria estar deitada mexendo só olhos, não era nem para eu ter sobrevivido. Então é um milagre”, agradece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *