Quem apoia greve que fecha escola?

Existe um desgaste histórico na relação entre o poder público e o funcionalismo. Desgaste que envolve as condições de trabalho, baixos salários, planos de…

Existe um desgaste histórico na relação entre o poder público e o funcionalismo.

Desgaste que envolve as condições de trabalho, baixos salários, planos de cargos e carreiras que não existem ou não são respeitados. O tratamento (demonizado) do gestor e os servidores.

Todo esse desgaste acaba prejudicando o mais comum dos cidadãos. Ele é quem na ponta depende destes serviços.

Funcionários públicos protestam contra a política salarial do prefeito Rui Palmeira (PSDB).

Decretaram greve por tempo indeterminado. Uma greve por exemplo que fechou todas as escolas do município.

O Sinteal quer o apoio da sociedade nestas condições?

O maior sindicato de Alagoas facilmente será desarticulado no Judiciário: o prefeito pedirá que se decrete a ilegalidade da greve. É muito difícil a justiça não conceder este pedido.

Porque os serviços mínimos também estão suspensos.

Na prática, o sindicato não conseguirá apoio de pais e alunos; escolas fechadas também não incomodam um prefeito que não disputa eleição nem teme o desgaste porque se voltar a disputar alguma coisa será apenas em 2022. Tempo demais para a construção de uma memória coletiva.

Greve paralisando TODAS as repartições arrebenta previsivelmente os que já se arrebentam: o povão, o populacho, a ralé.

Quem fica de fora desde o início da colonização do bolo social.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *