Projeto de lei, encaminhado a Assembleia, institui Programa de Ensino Integral

O governador Renan Filho assinou, na tarde desta sexta-feira (23), o projeto de lei que institui o Programa Alagoano de Ensino Integral (Palei) no…

O governador Renan Filho assinou, na tarde desta sexta-feira (23), o projeto de lei que institui o Programa Alagoano de Ensino Integral (Palei) no âmbito da rede pública estadual de ensino. O ato aconteceu durante a inauguração das obras de reforma e ampliação da Escola Estadual de Ensino Integral Professor Edmilson de Vasconcelos Pontes, no bairro do Farol, em Maceió.

O objetivo do programa é adequar as unidades de ensino já em funcionamento ou que vierem a fazer parte do Palei para a oferta do ensino em tempo integral em todo o Estado.

“Dessa forma, o ensino integral em Alagoas deixa de ser uma política de Governo e passa a ser uma política pública de Estado”, explicou o secretário da Educação e vice-governador, Luciano Barbosa, que também participou da solenidade de inauguração da Escola Estadual de Ensino Integral Professor Edmilson de Vasconcelos Pontes. O projeto segue para análise e votação na Assembleia Legislativa do Estado (ALE).

A Escola Estadual de Ensino Integral Professor Edmilson de Vasconcelos Pontes foi totalmente reformada e ampliada. A unidades de ensino é uma das 157 da rede estadual que já foram reformadas nos últimos três anos e três meses, pelo Governo do Estado, e será uma das cinco primeiras em Alagoas a contar, em 2018, com o ensino integral também para o nível fundamental.

“A gente começa o quarto ano do Governo com 50 escolas em tempo integral e mais de 12 mil alunos matriculados nessa modalidade de ensino. No Estado existiam apenas 32 ginásios de esportes e, até agora, já construímos 70. Isso é mais do que o dobro do que existia, por isso muito significativo. A educação de Alagoas passa por um ciclo muito importante de investimentos com recursos próprios”, destacou o governador.

Dos 427 alunos matriculados, 283 já cursam o ensino médio integral na Escola Professor Edmilson de Vasconcelos Pontes, que conta com 12 salas de aula, biblioteca, auditório, horta e laboratórios de Ciências, Informática e Robótica.

“Nós temos 50 escolas em tempo integral, todas elas de nível médio, e o governador achou por bem, que também tivéssemos algumas unidades de nível fundamental para servir de projeto-piloto, de modelo aos municípios, para, assim, expandir esse processo por toda Alagoas”, acrescentou Luciano Barbosa.

Avanço

A Escola Estadual Professor Edmilson de Vasconcelos Pontes foi equipada com três pontos eletrônicos de reconhecimento facial. Trata-se da quinta unidade a contar com este tipo de tecnologia, um projeto-piloto que permite o controle da frequência escolar.

“Caso o aluno não compareça, os pais ou responsáveis são avisados por SMS (mensagem de texto por celular) sobre a ausência do estudante”, explicou o gerente de Tecnologia da Informação (TI) da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), Thiago Caminha.

Segundo a diretora-geral da escola estadual, Maria de Fátima Cavalcante, a reforma elevou a autoestima dos alunos e já produz reflexos positivos no rendimento deles. “Com essa reforma belíssima melhorou tudo, tanto para o professor quanto para o aluno. Eles contam com todas as salas climatizadas”, observou Maria de Fátima, lembrando que estudantes de outros bairros têm procurado a escola para se matricular.

A obra possibilitou, ainda, a ampliação dos laboratórios, dos banheiros e da cozinha. Foram instalados condicionadores de ar em todas as salas, um transformador de energia mais potente para a rede suportar os novos equipamentos eletroeletrônicos e disponibilizada nova mobília, além de melhorias nas redes hidráulica e elétrica; pintura, paisagismo e reforma da quadra de areia.

“Estudo aqui há cerca de um ano e nesse pouco tempo já deu para perceber as melhorias. Mudou muito coisa, e para melhor”, atestou a estudante do 1° Ano “C”, Franciele de Andrade.

Prestigiaram a solenidade de inauguração, o senador Renan Calheiros, o deputado federal Givaldo Carimbão, o secretário de Estado do Trabalho e Emprego, Arthur Albuquerque, os vereadores por Maceió Silvio Camelo e Ana Hora, o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Otávio Lessa, e o diretor da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), Guilherme Pontes.

Fonte: Agência Alagoas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *