FAT demite 30 para contratar intermitentes; faculdade responde

As adequações às novas regras trabalhistas na Faculdade de Tecnologia de Alagoas (FAT) estão custando muitas demissões e crises de choro nos corredores, por…

As adequações às novas regras trabalhistas na Faculdade de Tecnologia de Alagoas (FAT) estão custando muitas demissões e crises de choro nos corredores, por conta da indefinição sobre o futuro dos professores.

Já são 30 demissões neste semestre. Oito delas no curso de Enfermagem.

Até professor que teve meningite- e precisou se afastar do trabalho, mas estava em período de convalescença- foi demitido.

Outra profissional, com crises de hipertensão, tinha de lidar todos os dias com o problema de saúde em meio ao processo de desligamento na faculdade.

Todos eles têm algo em comum: eram trabalhadores com carteira assinada. Os novos contratados são intermitentes. Ou seja: se for demitido, não tem direito a FGTS nem rescisão nem férias, insalubridade, periculosidade…

“O trabalhador presta um serviço e quando expira o prazo, você sai. Aí, eles recontratam o professor para o próximo semestre”, explicou um professor.

“Passamos várias situações de constrangimento pessoal durante um semestre inteiro. Fomos excluídos de atividades da faculdade, como na semana de enfermagem. Professores com 1 ou 2 meses de faculdade entraram nas atividades e nós não pudemos. Quem não pôde, foi demitido. Os que participaram eram intermitentes”, explica.

A seleção para novos professores foi feita enquanto os profissionais – mais adiante demitidos- estavam lecionando.

O quê diz a FAT?

Ouvida pelo blog, a FAT- via assessoria- disse que as demissões existiram, “normais, como acontecem em qualquer instituição de ensino”.

“Boa parte delas por conta do choque de horários. A maioria dos professores de instituições superiores ensina em outras instituições e quando sai o horário de aula, às vezes dá choque e eles não conseguem conciliar”.

“Todas as demissões foram sem justa causa”.

“Houve também demissões por conta da avaliação dos alunos que não estavam satisfeitos com alguns professores e isso na FAT é levado em consideração”.

“E este caso especial do professor [com meningite], ele contraiu esta doença por conta de uma cirurgia no dente. Parece que foi há dois anos, mas ele continuou conosco quando retornou. Só que quando retornou, já curado, passou a dar muito trabalho, a atrasar, a deixar os alunos esperando em sala de aula e aí gerou uma insatisfação com os alunos e foi desligado”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *