Escolas estaduais ampliam participação nas Olimpíadas de Robótica e Física

Acreditando no potencial dos professores e estudantes, principalmente no protagonismo juvenil, ano a ano, desde 2015, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) vem…

Acreditando no potencial dos professores e estudantes, principalmente no protagonismo juvenil, ano a ano, desde 2015, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) vem apostando no desenvolvimento de ações e programa nas áreas de ciências e tecnologias. O resultado tem refletido no crescente interesse das escolas da rede em olimpíadas brasileiras nestas áreas.

Na Olimpíada Brasileira de Física das Escolas Públicas (OBFEP), das 210 escolas alagoanas inscritas, 194 são da rede estadual, 22 a mais do que em 2017, seguida de nove escolas municipais e sete do Instituto Federal de Alagoas (Ifal).

Na Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR), a rede estadual quintuplicou o número de inscritos em relação ao ano passado. Em 2017 foram 17 escolas. Este ano, das 116 unidades de Alagoas inscritas na fase teórica, 86 são estaduais e, na fase prática, das 88 confirmadas, a rede contabiliza 73.

Coordenador do Centro de Ciências e Tecnologia (Cecite) da Seduc e também responsável pela coordenação das duas olimpíadas no âmbito da rede estadual, o professor Ronaldo Cristiano comemora. Em sua avaliação, os investimentos em materiais e formações, associados aos interesses dos docentes e alunos, têm refletido nos resultados.

“Pela OBFEP, vamos repetir oficinas com os professores, previstas para agosto e setembro, mas, antes disto, enviaremos materiais para serem trabalhados com os alunos em sala de aula. A primeira fase acontece dia 14 de agosto, nas respectivas escolas. A segunda, em 20 de outubro, nos centros de aplicação, onde teremos um por Gerência Regional de Educação (Gere)”, explica.

Ronaldo também fala da mobilização para a OBR, cujas provas teóricas acontecem na próxima sexta-feira (8). “Pela OBR, o trabalho tem sido feito mediante projeto. Temos enviado materiais para os professores e investido na melhoria dos protótipos, com oficinas para construções de robôs e também programação, para melhorar ainda mais os resultados. No ano passado tivemos reconhecimentos como melhor escola estreante, melhor escola pública e melhor robustez”, desta o coordenador.

Fonte: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *