Contra calote, federação pede que trabalhador vá à Justiça contra usinas

A Federação dos Trabalhadores Assalariados Rurais de Alagoas (Fetar/AL) orienta que os trabalhadores do setor sucroalcooleiro procurem a Justiça, para evitar o que ela…

A Federação dos Trabalhadores Assalariados Rurais de Alagoas (Fetar/AL) orienta que os trabalhadores do setor sucroalcooleiro procurem a Justiça, para evitar o que ela chama de “golpe” das usinas, ligadas à Cooperativa Regional dos Produtores de Açúcar e Álcool, que conseguiram recuperação judicial.

As usinas Sinimbú, Sumaúma, Paisa, Capricho, Seresta, Porto Rico e Porto Alegre alegaram, na Justiça, que enfrentam dificuldades para pagar suas dívidas, informa Kelmenn Freitas, da Gazeta.

“No total, são 50 mil pessoas prejudicadas com esse pedido de recuperação. Vão dispensar o pessoal mais antigo, que têm direitos a receber, e contratar gente nova para fazer o serviço, gente sem vínculo nenhum ainda, sem dinheiro a receber. Não concordamos com essa choradeira [dos usineiros]. Três dessas sete usinas já vinham sem moer: a Capricho, a Sinimbu e a Porto Alegre”, disse o presidente da Fetar, Cícero de Oliveira.

Deixe uma resposta