Doentes esperam na fila e em macas pelos corredores do HGE

Corredores do Hospital Geral do Estado voltaram a registrar superlotação de pacientes na manhã desta quinta-feira (27). Imagens de um internauta mostram doentes em…

super

Corredores do Hospital Geral do Estado voltaram a registrar superlotação de pacientes na manhã desta quinta-feira (27).

Imagens de um internauta mostram doentes em macas à espera de atendimento ou em recuperação.

É uma situação considerada comum até por quem é funcionário do hospital. É quando a estupidez vulgariza no olhar dos homens.

super3

Extra-oficialmente, o blog foi informado por uma fonte da Secretaria Estadual de Saúde que o problema do HGE é dos prefeitos, que se recusam a tratar seus doentes nos hospitais locais.

Porém, promotores do Ministério Público já sabem: em algumas comarcas, hospitais tem apenas dipirona e soro para servir aos pacientes.

Também extra-oficialmente, uma bem situada fonte do Samu disse que a superlotação do HGE nesta 5ª só não foi pior por existir ambulâncias paradas do lado de fora, à espera de vagas de dentro do maior hospital público de Alagoas.

super2

E, faltando macas para tantos doentes no HGE, uma ambulância foi retirada do socorro na capital atrás de macas em outras unidades hospitalares para o HGE.

É a nossa comédia humana.

A assessoria do HGE mandou nota ao blog sobre a superlotação:

O Hospital Geral do Estado (HGE) esclarece que tem o compromisso de prestar assistência à saúde a todos os pacientes que procuram esta unidade hospitalar, o que acarreta no número de atendimentos acima da capacidade instalada. 

E para tentar sanar a superlotação no HGE, O Governo do Estado está construindo novos hospitais na capital e interior, a exemplo do Hospital da Mulher e do Hospital Metropolitano, que irão ampliar o número de leitos em Alagoas.

Por ser o único hospital de urgência e emergência que funciona 24h pelo Sistema Único de Saúde em Alagoas, o HGE registra diariamente elevada demanda de pacientes, principalmente de casos clínicos, que deveriam procurar assistência nos postos de saúde da Capital e dos demais 101 municípios do Estado.

O grande número de pacientes com doenças crônicas demanda internações de longa duração, o que gera internações em macas-leitos nos corredores da Área Azul. Todos os dias, a Central de Regulação de Leitos da unidade realiza transferências de pacientes para cirurgias eletivas e internações nos hospitais conveniados ao SUS.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *