Mutações, abismos sociais e Romero Britto, por Gerlane Guedes

Já faz mais de um semestre que eu pago o aluguel, luz, água, internet, cesta básica, não é com dinheiro, é com um bisturi,…

Já faz mais de um semestre que eu pago o aluguel, luz, água, internet, cesta básica, não é com dinheiro, é com um bisturi, tiro um órgão interno comercializável que estou usando menos e entrego nas mãos deles.

Conviver com a entidade das trevas, ok, quem nunca viu um mortinho básico?

Pagar meu rim de aluguel, todo mês, não está ok!

Como é difícil achar um imóvel lindo, na parte baixa da cidade, bem localizado e super barato (se pá é daí que só consigo pagar por aqueles que vêm com entidade dentro, igual aqueles casais de filme de terror que compra a super mansão vitoriana por uma merreca depois descobre que era habitada apenas pelo the monho)

Gente, como pode piso de rico ser tão lindo?

É mais bonito que a minha cara. Eu não queria nem morar na casa deles, eu só queria que eles me deixassem entrar, depois ficar paradinha, olhando ele brilhar. 340 metros quadrados brilhantes daquele piso lindo intercalado com lustres no teto e inox na cozinha.

Eles tacam uns quadros de Rom ero Britto nas paredes!

Mas que a desgraça do mundo deles é feito para deixar a gente achando mesmo que não damos certo na vida, é.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *