Alunos pró-Bolsonaro defendem tortura e são proibidos de renovarem matrícula

O Colégio Antônio Vieira, instituição particular de Salvador, proibiu alunos do 3º ano do Ensino Médio de renovarem as matrículas após defenderem tortura e…

O Colégio Antônio Vieira, instituição particular de Salvador, proibiu alunos do 3º ano do Ensino Médio de renovarem as matrículas após defenderem tortura e extermínio de índios.

As defesas estavam no grupo de WhatsApp “Direita Delirante”, pró-Bolsonaro e com a foto do presidente eleito. Entre as propostas dos alunos, estavam a criação de um “Ministério da Tortura”, “mais importante que o da Cultura”; “mandar os bandidos pras reservas indígenas” porque “eles se matam e matam os índios também”.

As conversas eram entre alunos de 14 e 17 anos. Mais aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *