Usineiros de Alagoas propõem comunismo bem original para superar crise dos canaviais

Extenso relatório elaborado a pedido dos usineiros alagoanos- os que estão sob recuperação judicial- propõe, em outras palavras, até o comunismo como solução à…

Extenso relatório elaborado a pedido dos usineiros alagoanos- os que estão sob recuperação judicial- propõe, em outras palavras, até o comunismo como solução à grave crise afetando a monocultura secular.

Um comunismo bem brasileiro: dividir os problemas dos negócios com o restante da sociedade. Somente os problemas.

Em outras palavras, os usineiros condenam a supremacia da selvageria: culpam São Pedro pela falta de chuva; culpam o Governo que não lhes ajudam mais do que eles querem; culpam o livre mercado, que abaixou o preço do açúcar; culpam os bancos que cobram suas dívidas com juros enormes e não entendem o guarda-chuva social amplo nos canaviais.

Falam, também, como abdicaram de terras para ajudar ao meio ambiente; dos empregos que geram…

… e como, em outras palavras, seria bom que o comunismo- este comunismo com açúcar e afeto- fosse aplicado em nome do bem-estar social.

Nada mais original um pedido assim, nos 100 anos da revolução russa.

Por certo, se Lênin fosse alagoano, lideraria o povo nessa empreitada. Um comunismo onde a economia privada vale mais que a economia pública; onde o interesse de alguns deve se sobrepor ao do restante; e onde quem pode, pode; e quem não pode se sacode.

E o resto viria por acréscimo, num cortejo de mucamas e iaiás, sob olhares de felicidade ampla e irrestrita. Sem reclamações.

Deixe uma resposta