Temido, Cícero Ferro representava o poder quase inquestionável em tempos de democracia

Não se pode negar a importância de Cícero Ferro na história mais recente da Assembleia Legislativa pré-taturana. Personagem temido, representava o poder quase inquestionável…

Não se pode negar a importância de Cícero Ferro na história mais recente da Assembleia Legislativa pré-taturana.

Personagem temido, representava o poder quase inquestionável em tempos de democracia.

Relatórios do TRE, ao longo dos anos, mostravam que, em outros tempos, o então deputado – ameaçado de morte- andava por Minador do Negrão com policiais militares autorizados pelo Estado para sua segurança mas com ar de intimidação. Minador passou a entrar nas listas de municípios brasileiros com tropas federais nas eleições. Tropas- quase sempre justificadas- pela presença de Cícero Ferro, com mais militares fazendo sua segurança que o efetivo de PMs no celeiro eleitoral.

Da ascenção ao declínio, Cícero Ferro foi preso diversas vezes por motivos diferentes, entre eles pistolagem; vítima de atentado à bala, escapou por pouco. Destaque nas investigações da Taturana pela quantidade de dinheiro movimentada no esquema de fraude na Assembleia. E, finalmente, as derrotas ao longo dos anos tanto nas disputas a deputado estadual quanto à Prefeitura de Minador.

Mesmo sem cargo público, tinha o prestígio que lhe ajudou a subir nos palanques da periferia de Maceió. E ajudou a eleger outros tantos personagens conhecidos da política local.

Morre Cícero Ferro e o mito ao redor dele também se vai. Não deixa herdeiros com o mesmo poder dele – poder do passado- na família. Mas ainda estará no imaginário do eleitor. Por quanto tempo? Talvez menos do que a memória alcance e substitua por outro personagem de atitudes inquestionáveis, em regiões pobres, oferecendo a proteção e o medo.

Deixe uma resposta