‘Homossexualismo é doença’, diz médico, em discurso na Câmara de Maceió

Em discurso com muitos apartes na Câmara de Vereadores de Maceió, Ronaldo Luz (PMDB) disse que “homossexualismo é doença”, uma “enfermidade grave”. O vereador…

Em discurso com muitos apartes na Câmara de Vereadores de Maceió, Ronaldo Luz (PMDB) disse que “homossexualismo é doença”, uma “enfermidade grave”. O vereador é médico.

A discussão veio após a citação da novela “Força do Querer”, da Rede Globo, que discute o tema.

Segundo ele, na história do Brasil, quando a família do senhor de engenho tinha 3 filhos “podem observar”, disse ele, “um deles era padre, para esconder, para não envergonhar a família”

Para ele, quando a TV mostra os dramas de uma personagem que não aceita ser mulher, apesar do corpo ser de mulher,”transmite que a atitude homossexual é normal e não é normal, é infelicidade, não é coisa normal, é enfermidade”.

“Gosto de caminhar na orla marítima de Maceió e vejo 2 rapazes se beijando”, disse Luz, explicando que o beijo deveria ser “reservado” porque “não é normal nunca”.

Ronaldo Luz é médico, tem 65 anos e foi eleito com 8.216 votos na capital.

Apartes
Em aparte, o vereador Samyr Malta (PSDC) reclamou que “ninguém tem coragem de impor limites” nos meios de comunicação, citando que esta tarefa caberia ao Congresso Nacional. Disse ainda “temer o castigo de Deus” por ter um filho de 3 anos. “Não sou a favor das pessoas ‘incubadas'”, disse, sobre as pessoas que “não se assumem homossexual” e falou também: “Prefiro conservar a família, conservar meus normais que o incentivo à coisa errada”.

Também em aparte, as vereadores Tereza Nelma (PSDB) e Fátima Santiago (PP) defenderam os homosssexuais, gays, lésbicas e explicaram que não existe anormalidade. “O que temos de discutir são os direitos humanos, temos uma direita extrema em um Estado que mais mata homossexuais”. Afirmou ainda que “homossexuais são explorados por vários vereadores porque eles têm voto”.

“Precisamos ser mais humanos”, resumiu.
Fátima Santiago, em explicação mais científica (ela também é médica) disse que ser homossexual não é patologia. E defendeu a novela da rede Globo: “Talvez ela erre na forma, mas quando a Globo tenta mostrar o homossexual quer mostrar um indivíduo com direitos”.

Em maio de 1990, a Organização Mundial de Saúde retirou a homossexualidade da lista internacional de doenças.

One thought on “‘Homossexualismo é doença’, diz médico, em discurso na Câmara de Maceió

  1. Ainda bem que 2 vereadoras esclarecidas se colocaram perante tanta ignorância alimentada por preconceitos. Inclusive a novela, no caso, está falando sobre identidade de gênero e não sobre homossexualidade. Parabéns às vereadoras que combatem discursos fundamentalistas com propósitos eleitoreiros.

Deixe uma resposta