Coronel da PM faz bravata em torno do clima de guerra em Batalha

Enquanto Batalha revive o passado recente da guerra entre os Dantas e os Boiadeiro e o sub-secretário de Segurança Pública, Manoel Acácio Júnior, busca…

Enquanto Batalha revive o passado recente da guerra entre os Dantas e os Boiadeiro e o sub-secretário de Segurança Pública, Manoel Acácio Júnior, busca diminuir a tensão no sertão de Alagoas indo pessoalmente à região, o comandante do Policiamento de Área do Interior I, coronel Walter do Vale, quer levar para o caixão os que quiserem “peitar a segurança pública”.

“Se se armar e vier na cidade aprontar, vai levar tromba de lá. O Bope está aqui com as nossas tropas. Estou aqui para garantir a ordem, a paz da população. Agora se armar, querer jogar isso para o público”, disse.

Talvez o coronel não compreenda a complexidade da violência alagoana. Ameaçar com um rio de sangue onde existe um mar de sangue e este mar corre o risco de gerar uma tsunami de mata-mata é uma solução sem eficiência, já adotada pelas polícias alagoanas no passado, nos tempos do amadorismo.

Fazer bravata em nome de uma auto-promoção aos olhos do governador Renan Filho (PMDB) demonstra, apenas, o desprezo de soluções civilizadas para a violência. A violência em Batalha não é um conflito entre rafamés em torno de uma boca de fumo.

Deixe uma resposta