Advogado, 30 anos e indicado por deputado será um dos ‘gerentões’ da 8ª Bienal

Dagoberto Omena, 30 anos. Ele é o novo presidente da Imprensa Oficial Graciliano Ramos. Chegou ao cargo por indicação do deputado Sérgio Toledo (PSC)….

Dagoberto Omena, 30 anos. Ele é o novo presidente da Imprensa Oficial Graciliano Ramos. Chegou ao cargo por indicação do deputado Sérgio Toledo (PSC). Tem nove anos no serviço público, atuou como procurador-Geral de cidades do interior.

Advogado, professor de Direito durante 4 anos da faculdade Maurício de Nassau, nunca enfrentou um desafio como este: de 29 de setembro a 8 de outubro, será um dos líderes da 8ª Bienal Internacional do Livro, no Centro de Convenções, homenageando os 200 anos de Alagoas.

O Governo aposta muitas fichas na 8ª Bienal. Quer mostrar ao país a gestão Renan Filho (PMDB) como algo maior que a crise na saúde e o aumento dos homicídios.

E a Gráfica Oficial tem a missão de entregar 50 títulos diferentes, maioria de autores alagoanos, para serem lançados na Bienal.

Um evento que impressiona pelas previsões: mais de 300 mil pessoas são esperadas, centenas de livros para lançamento, escritores de todo o país, como João Anzanello Carrascoza, Gustavo Lacombe, FML Pepper, Marcia Tiburi circularão entre palestras e mesas redondas.

TVs, rádios e sites de todo o país estarão em Alagoas, para mostrar o que esta terra caeté tem.

E o blog entrevistou Dagoberto Omena, que se manteve distante dos holofotes. Ao menos até agora:

Você assume mudando uma parte da equipe do presidente anterior, Marcos Kummer. O que quer? 

Inicialmente temos uma grande desafio que é a Bienal do livro.

Por que é um grande desafio?

Temos uma grande programação e a missão de entregar cerca de 50 títulos até a Bienal para lançamento. São livros selecionados por nosso editora, a Graciliano ramos, e cerca de 30 com a Edufal, editora da Ufal, em parceria com a Fapeal. Sem falar no material referente à comemoração dos 200 anos de alagoas.

Você pegou o “bonde andando”, uma Bienal praticamente pronta…

Na verdade não. Pouca coisa estava estava definida pela gestão anterior da Bienal. Assim, estamos correndo contra o tempo para conseguir atender. Tive uma reunião hoje [12 de setembro] com a equipe que está bem motivada e não tenho dúvidas que tudo estará pronto em tempo hábil. A gestão anterior deixou algumas coisas engatilhadas que iremos sim utilizar. Vai ajudar bastante. As mudanças na equipe foram mínimas.

Quanto, em caixa, a gestão anterior deixou?

Não posso lhe repassar esses números, pois serão apresentados no conselho de administração da empresa e posteriormente publicado o balanço.

O que espera para a Bienal?

Que seja um sucesso, será o local que iremos mostrar a nova cara da imprensa oficial. A cara da nova gestão. Após ela, Também iremos fortalecer o vínculos com instituições importantes, como o Instituto Histórico e a Academia Alagoana de Letras. Iremos manter o lançamento de editais para publicação de livros.

Mas uma bienal é um desafio muito grande a quem é tão jovem e apenas da área de Direito.

É um grande desafio, mas estou contando com a experiência de profissionais que fizeram a Bienal de 2015 e já possuem experiência.

Deixe uma resposta