2ª fase da Polhastro chama atenção por sofisticação de esquema descoberto entre fiscais de renda

A 2ª fase da Operação Polhastro- que cumpre 7 mandados de prisão preventiva mais 6 de condução coercitiva- chama a atenção por 2 características,…

A 2ª fase da Operação Polhastro- que cumpre 7 mandados de prisão preventiva mais 6 de condução coercitiva- chama a atenção por 2 características, notadas pela Secretaria da Fazenda: os envolvidos são servidores antigos da secretaria e as fraudes têm uma razoável sofisticação- chamadas de “fraudes estruturadas”. Ou seja: empresas fantasmas ou de laranjas simulando operações e, consequentemente, fraudando o recolhimento de impostos.

Os valores que deixaram de ser recolhidos ou foram desviados ainda estão sendo apurados.

Foram presos preventivamente: os fiscais de tributos José Vasconcellos Santos, Edmar Assunção e Silva, Luiz Américo de Araújo Santos, Francisco Manoel Gonçalves de Castro, Marco César Lira de Araújo e Augusto Alves Nicácio Filho. E o contador José Josenildo da Silva Omena.

Policiais militares do posto fiscal de Porto Real do Colégio presos: o sargento PM Adilson Jacumbinho dos Santos, cabo Marcelo Araújo Almeida e sargento Santos.

Condução coercitiva: Ricardo Magno Ferreira da Silva (Fiscal de Tributos da SEFAZ), Emídio Barbalho Fagundes Júnior (Advogado e Fiscal aposentado), Jéssica Nayara de Oliveira Santos, Filipe Moreira Machado, Elaine Cristina da Silva e Kelni Santos da Silva.

Deixe uma resposta