Quem pode pichar? Polêmica da Praça do Skate

Skatista gosta de pichação? Se até hoje você achou que sim, se prepare para pensar um tantinho mais profundo. Umas pichações de cunho feministas…

Skatista gosta de pichação?

Se até hoje você achou que sim, se prepare para pensar um tantinho mais profundo.

Umas pichações de cunho feministas estão esquentando lados e lados de debates em Maceió.

A prefeitura diz que está revitalizando um espaço para uso público e lamenta as pichações dentro dos famosos jargões do vandalismo.

Aos moldes das administrações formais, assépticas e cá pra nós, bem arcaicas, já sinalizou identificação de culpad@s, ameaças judiciais e abertura de Boletim de Ocorrência sob os aplausos dos limpinhos e cheirosos, da massa elitista.

Vandalismo! Multa! Detenção! – Discursos burgueses divulgados na mídia.

Mas aqui, nosso foco se volta para a reação das mentalidades, na disputa por um território historicamente masculino, pois pichação parece ser coisa somente de macho. É assim?

Respondem, na rede social facebook, as manas:

” Bom, para quem tiver procurando as “culpadas”, sou eu, sou ela, somos todas nós. Mulheres. Todos os dias. Acordamos e vamos dormir culpadas, sempre. Então, tanto faz pra mim, ser a autora ou não dessa pichação. Podem me culpar, se quiserem. As manas que fizeram, fazem parte de mim, e eu, parte delas. Pq elas disseram tudo o que acredito. Já foi o tempo em que não éramos cúmplices. Oficialmente culpadas. Patriarcalmente culpadas. Não é uma novidade. Agora, vamos ao que interessa de fato. A verdade, quase sempre ocultada e naturalizada.

Olhem só o que encontramos pelas opiniões do post aqui, com tradução:

DEBOCHE: “Acho a mais pura inteligencia. Alto ´´QI“ desses artistas, pois quando derem o polimento, essa ´´ARTE“ vai sair! HaHaHaHa!!!!!” (a minha inteligência diz que a pichação e o grafite são intervenções urbanas efêmeras).

PERSEGUIÇÃO:” conheço uma delas….. Ela disse que a foto foi sábado…. É só olhar no instgram!!! Sério? Vou catar essa porra agora. Postei no meu insta a foto! Duvido não aparecer hj!” (e…? o que vai acontecer?)

HOMOFOBIA: “Viadagem da porra”. “Esse desenho tem duas mule se pegando kkkkk nao foi ISQUEITISTA KKKKKKKKKKKKKKKK” (ahh claro, pq skatista é só HOMEM, MACHO, HETERO. Bolsonaro tbm pensa assim).

DEPRECIAÇÃO: “nada contra as minas mais tem cara de ser aquelas “feminista de internet “. “pior man,que tá aparentando ser…. 😓 😓” (sono)

VIOLÊNCIA: “E foda-se que vc é bruxa foda-se a mim não tá dizendo nada” (me recuso)

CONTROLE: “A idéia seria repassar a mensagem de não andar ou Pixar, ou grafitar até o termino das obras pra garantir a execução”. (adorei, mas não seria pixo)

CRIMINALIZAÇÃO: “estamos a mercê de pessoas que estão dispostas a zelar pelo patrimônio, e aquelas que não.”

Estamos diante de uma construção arquitetônica que, assim como o grafite e a pichação, representa uma prática marginal e transgressora que sempre foi o skate. É um espaço de resistência, de valor social. Nunca foi nutella. Não há pista de skate sem piche. É como um circo, sem lona. Então, o que está sendo tratado aqui passa longe da preocupação de muitos caras sobre o “patrimônio público” de Maceió. É machismo. É represália por não ter sido feito pelos “donos” da pista.

Interpretem o piche. Vejam se o que vcs estão lendo são representações daqueles que sempre estiveram no poder e tiveram a liberdade para serem o que quiserem. Socialização e comunicação direta, é o que é.”

Nós do blog trazemos os questionamentos atuais sobre arte de rua e intervenções urbanas, que consideram a pichação como expressão digna. Porém, como esperar isso de uma proposta de cidade que não contempla todos os seus habitantes?

Você já parou para pensar a quais grupos Maceió acata?

É uma cidade para tod@s?

Agências de publicidade, propagandas políticas e outras “legalizadas” ocupam irrestritamente os espaços públicos, sem causar frenesi de assepsia urbana ou arquitetônica, e para elas não se levantam ameaças jurídicas nem morais.

O que causa irritação pública diante de pichações? E por que o fato de serem supostamente feministas irrita até mesmo pichadores?

Há muito a ser provocado, debatido, estudado e compreendido sobre a dialética urbana em Maceió. E essas pichações da hora, trouxeram também excelente mote.

 

2 thoughts on “Quem pode pichar? Polêmica da Praça do Skate

  1. Bacana demais o texto!
    Li com um sorriso no canto da boca o tempo inteiro.

    Mando saudações minhas e da galera do Maceió Alternativá. Vocês estão nos representando!

  2. A única questão aí é o desrespeito para com a praça que está em reforma pela primeira vez após sua inauguração a aproximadamente 30 anos. Faça isso após inaugurar, mas enquanto pessoas trabalham para deixa-la melhor para nós mesmos? A Obra nem terminou. Se vocês não pensar assim, não é mesmo….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *