Fascismo é fato no Brasil, Haddad tem missão suprapartidária

Não dá mais para fingir que são casos isolados. Desde que o líder dos brasileiros que se identificam com o fascismo começou a incentivar…

Não dá mais para fingir que são casos isolados. Desde que o líder dos brasileiros que se identificam com o fascismo começou a incentivar publicamente o ataque a petistas, gays e feministas, que não param as ocorrências por todas as partes do Brasil. Tratá-las isoladamente só facilita o avanço das práticas fascistas, já presentes entre nós, graças ao acovardamento das instituições que nada fizeram para defender a liberdade e a vida.

Em Salvador, um importante ícone da cultura afro, Mestre Moa, foi assassinado pelas costas com 12 facadas após afirmar ter votado em Fernando Haddad, por um eleitor fascista, que já tinha agredido outras pessoas.

Em Maceió, três homens espancaram uma mulher que declarou voto em Ciro Gomes, dentro do próprio colégio onde estava a sessão eleitoral.

Em Curitiba, um homem jogou o próprio carro contra um jornalista que estava vestindo camiseta com rosto de Lula, enquanto este conversava com amigos.

Fato comum aos casos: todos eleitores do inominável, com postagens de teor agressivo nas redes sociais.

A intimidação está pairando no ar, deixando familiares aflitos e pessoas vulneráveis.

Para tudo! É esse o país que você quer?

As instituições brasileiras estão omissas, esperando participar da festa fascista.

Quem pode mudar esse destino somos nós, brasileiras e brasileiros votantes.

Está convencido de que a luta é civilização contra barbárie ou precisa acontecer com alguém que você ama, para tocar sua sensibilidade?

Milícias dominando as ruas do nosso país, agredindo e matando, é o sonho dos cidadãos de bem?

Reaja. Vote pela democracia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *