Corpo de Rômulo Acioli é encontrado: violência que desumaniza o humano

Muitas vezes me disseram para evitar abordar a temática da violência em Alagoas, como se assim me expressassem amor, um código de proteção e…

Muitas vezes me disseram para evitar abordar a temática da violência em Alagoas, como se assim me expressassem amor, um código de proteção e atrativo existencial me era repassado por estas almas boas, que nunca entenderam por dentro a indignação que um crime gera, na alma das vítimas-familiares.

Mas eu sei o que é isso. Eu senti. Eu sinto. Não posso me omitir e produzir apenas escritos legíveis sobre as festas e as cores da alienação social. Eu sangro amores naquilo que escrevo! Eu escrevo a vida e não posso aceitar a morte como enfeites do poder.

Neste momento vejo o companheiro professor e artista José Acioli anunciando publicamente que foi encontrado o corpo do seu irmão Rômulo Acioli, que estava desaparecido há dias. E anuncio nossa solidariedade, nossa indignação com o desfecho desumano após dias de tortura emocional, por parte das vítimas-familiares.

Aceitar que nos matem não é algo inerente à humana saga.

Por essa razão, toda violência que fere a vida nos fere a todos, seres humanos, sociais e históricos!

Acioli escreveu o texto abaixo exposto, em sua página na rede social, no dia 01 de agosto:

” Desaparecimento do meu irmão Rômulo Acioli – a ausência de qualquer explicação ou até mesmo de seu corpo, paralisa as vidas rumo a um abismo emocional sem fim. Ao mesmo tempo, ainda há esperança de acabar com o mistério assustador que começou no dia 21 de julho. O tempo está parado e a vida se transforma em angústia sem tamanho. Assim, os dias vão perdendo sentido. Só dor e espera nisso – olhos tristes, acanhados e sem brilho. A vida segue perdendo a cor da esperança e o tormento se instaura.”

Hoje, 05 de agosto, Acioli comunica:

 “Hoje, 05.07 apareceu o corpo do meu irmão no Benedito Bentes. A violência é uma não-linguagem que tira a humanidade do ser humano.”

E nós, não apenas lamentamos, como também reafirmamos nossa luta pelo direito de viver, repudiando toda violência que rasga os sonhos e fere corpos e almas, desumanizando o humano.

Ao professor Acioli e seus familiares e amigos, um abraço fraterno e sentido desta blogueira.

 

Deixe uma resposta