Caça às bruxas da Praça do Skate torna Maceió risível

Algo naturalizado em banks nos moldes masculinos,  a pichação, se tornou mesmo motivo para uma caça às bruxas, que a prefeitura de Maceió está…

Algo naturalizado em banks nos moldes masculinos,  a pichação, se tornou mesmo motivo para uma caça às bruxas, que a prefeitura de Maceió está levando muito à sério, talvez para encobrir as muitas lacunas que tem deixado em respostas sociais.

Partindo da inclinação burguesa da mídia local e apoio de usuários skatistas chateados com as intervenções feministas, o Secretário Municipal de Desenvolvimento Sustentável, Gustavo Acioly, expôs uma lista de código legais eivados de caráter repressor, punitivo, com apelo de proteção ao patrimônio público, colocando inclusive o contato telefônico da Guarda Municipal para receber denúncias anônimas.

Como é próprio de uma administração pública distante dos anseios e perfis dos conglomerados urbanos, a prefeitura de Maceió justifica a repressão alegando que “iria selecionar artistas, grafiteiros, pois o trabalho deles dão beleza”.

Uma cidade que invisibiliza as lutas das periferias, minorias, categorias e outras vozes marginalizadas, pode se tornar analfabeta ao ponto de considerar “feiura” as vozes que se erguem das noites da opressão, da violência moral, corporal, sexual, patriarcal; mas as bruxas de hoje já não poderão ser queimadas na fogueira institucional, pois elas estão emancipadas!

As redes sociais continuam transmitindo as vozes das bruxas urbanas, e a cada linha desse debate a prefeitura se torna objeto de riso, por não conseguir sequer dialogar com as intervenções efêmeras em forma de breves pichações.

Falam as manas:

” Os skatistas fizeram tanto malabarismo para justificar que não são machistas, estão só preocupados com o uso antecipado da pista, mas não dão um pio quando um macho aparece no jornal andando de skate em plena reportagem que fala sobre a necessidade de punir o pixo feminista.

Nós sabemos porque vocês estão nervosinhos, não adianta esconder.

Mulheres, parem de apoiar essa justificativa bosta e dar moral a esse tipo de gente.

Ninguém está preocupado com o banks, só com o conteúdo feminista do pixo. ”

#EssePixoÉMeu
#QuemFezEssePixoFuiEu
#NósPorNós
#TodasPorElas

” Skatistas colaborando com a prefeitura para caçar, processar e prender mulheres que fizeram o pixo do banks da praça do skate. Não é sobre “vandalismo”, é sobre machismo.

Quem fez esse pixo fui eu!

É tão vergonhoso ver como o estado age ferozmente contra ações de transgressão (desde que sejam elas praticadas por mulheres, para mulheres, sobre mulheres), de “violação do bem público” e blá blá blá. O que incomoda no pixo é seu conteúdo, é sua autoria, sua declaração de guerra contra o patriarcado. #quemfezessepixofuieu e se preparem, porque outros tantos estão sendo aplicados agora mesmo, enquanto você lê essa mensagem, por uma mana, em qualquer parte da cidade até não sobrar mais espaço para as agressões que sofremos todos os dias só por existirmos como fêmea, alvo de caça. Assumimos o lado de lá. Viramos a mesa. Agora é correr ou aprender a conviver com o que vivemos durante séculos, o medo da possibilidade de ser caçado.

#TodasPorElas
#EssePixoÉMeu
#NaoPassarao

Quer entrar na rede e fortalecer as manas bruxas que estão sendo caçadas por nos dar voz num espaço controlado por homens? Copia e cola isso no teu mural. Chama mais manas para se juntar à elas. Sigamos em rede! 💪🏾”

Quem fez a pichação fomos nós!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *